Emigrante português detido na Alemanha por rapto de criança

| Mundo

Um emigrante português de 48 anos foi detido pela polícia alemã por alegado rapto de uma criança de sete anos e tentativa de extorsão, no sul da Alemanha, disseram hoje à agência Lusa fontes policiais.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz da polícia de Waiblingen, cidade próxima de Estugarda, no sul da Alemanha, adiantou que o cidadão português de 48 anos encontra-se em "prisão preventiva, onde aguarda o "desenrolar da investigação criminal".

"O suspeito já admitiu os factos, mas as autoridades ainda estão a efetuar uma série de exames periciais, incluindo também à viatura" do suspeito, afirmou o porta-voz, acrescentando que o emigrante português "vai permanecer detido ainda algum tempo".

De acordo com o porta-voz, só quando estiverem concluídos esses exames complementares, o Ministério Público de Estugarda deverá acusar formalmente o suspeito.

O responsável escusou-se a adiantar mais pormenores sobre o suspeito de 48 anos, referindo apenas que o cidadão português já residia na zona de Estugarda há algum tempo.

Em comunicado conjunto, o Ministério Púbico de Estugarda e a Polícia de Waiblingen referem que o rapto da criança, filho de um empresário da região, ocorreu na sexta-feira de manhã, quando o rapaz de sete anos ia a caminho da escola.

Pouco depois, o pai da criança recebeu um telefonema a exigir um resgate que a polícia indicou ter sido de "seis dígitos".

A família da criança alertou imediatamente a polícia, que, em coordenação com o Ministério Púbico de Estugarda, criou uma equipa de investigação, que também contou com o apoio de várias outras unidades da polícia do estado federado de Bade-Vurtemberga.

Sob orientação e vigilância da polícia, a família pagou o valor exigido, tendo horas depois a criança sido libertada pelo raptor "nas imediações de uma escola da região".

Com a criança em segurança, precisou a mesma nota, as autoridades intensificaram a investigação até "possuírem fortes indícios contra o cidadão português de 48 anos", que foi detido na noite de sexta-feira num apartamento no distrito de Esslingen, região de Estugarda.

"Após o silêncio inicial, [o suspeito] confessou integralmente" os factos, refere o comunicado conjunto do Ministério Púbico de Estugarda e da Polícia de Waiblingen.

A polícia descarta, para já, que o cidadão português tenha contado com a ajuda de um cúmplice, mas continua a investigar várias possibilidades, acrescenta o comunicado.

O emigrante português, desempregado, conhecia o pai da criança e ter-se-á decidido pelo rapto depois de o empresário da zona de Waibingen lhe ter negado emprego na sua empresa, lê-se na mesma nota.

O dinheiro pago pela família foi encontrado "na viatura e no apartamento" do emigrante português, onde a polícia também detetou "várias outras provas incriminatórias, entre as quais um esboço da carta em que exigia resgate e uma fotografia da criança".

A agência Lusa contactou, sem sucesso, o consulado geral de Portugal em Estugarda.

Tópicos:

Púbico,

A informação mais vista

+ Em Foco

A primeira-ministro britânica descarta um segundo referendo, por considerar que não vai solucionar a encruzilhada que o Reino Unido enfrenta.

Xi Jinping passou dois dias em Lisboa, na primeira visita de Estado a Portugal desde que é Presidente da República Popular da China. Foram assinados vários acordos bilaterais.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      O processo de degelo na Gronelândia acelerou substancialmente nas últimas décadas. Os investigadores alertam para o perigo da subida do nível da água do mar.