Empreiteira Odebrecht pede desculpa por "práticas impróprias" na Lava Jato

| Mundo

A empreiteira brasileira Odebrecht pediu esta quinta-feira desculpa e admitiu que "errou" ao ter participado em "práticas impróprias", no âmbito da Operação Lava Jato, que investiga um mega esquema de corrupção na petrolífera estatal Petrobras.

Em comunicado, a construtora começa por dizer "desculpe, a Odebrecht errou", reconhecendo que "participou de práticas impróprias na sua atividade empresarial".

"Não importa se cedemos a pressões externas. Tampouco se há vícios que precisam de ser combatidos ou corrigidos no relacionamento entre empresas privadas e o setor público. O que mais importa é que reconhecemos o nosso envolvimento, fomos coniventes com tais práticas e não as combatemos como deveríamos", referiu.

A Odebrecht sublinha: "foi um grande erro, uma violação dos nossos próprios princípios, uma agressão a valores consagrados de honestidade e ética".

O comunicado surge no mesmo dia em que pessoas ligadas à empresa começaram a assinar acordos de delação premiada (prestação de informações em troca de eventual redução de pena) no âmbito da Lava Jato, segundo a imprensa brasileira.

No total, 77 pessoas fecharão acordos com o Ministério Público Federal (MPF), entre os quais o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, que se encontra detido desde 2015 e que já foi condenado a 19 anos a e quatro meses de prisão.

Será também assinado um acordo de leniência com a Odebrecht, o que poderá ter um grande impacto nos meios políticos, dado que executivos da empresa citaram mais de 200 nomes de políticos, de acordo com a imprensa local.

O acordo, que inclui também os Estados Unidos e a Suíça, prevê uma multa de 6,7 mil milhões de reais (1,8 mil milhões de euros) com prazo de pagamento de 20 anos.

Com um acordo de leniência, a empresa poderá continuar a ser contratada pela administração público e a contrair empréstimos.

Na nota, a Odebrecht informou que está a implementar um "sistema de conformidade baseado em padrões internacionais (...) composto por dez medidas integradas de prevenção, deteção e remediação de riscos de não conformidade", entre elas um canal de denúncias de irregularidades.

"A Odebrecht S.A segue evoluindo no seu plano de alienação de ativos, reestruturação de dívidas e fortalecimento da estrutura de capital de alguns dos seus negócios. O objetivo é garantir liquidez financeira", lê-se na nota.

O plano, acrescentou, "inclui a venda, até meados de 2017, de ativos avaliados em aproximadamente 12 mil milhões de reais" (3,2 mil milhões de euros).

Tópicos:

Odebrecht,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.