Força Aérea israelita bombardeia alvos sírios

| Mundo

Ruínas deixadas por um anterior bombardeamento israelita na Síria
|

Aviões israelitas bombardearam hoje dois alvos próximo da capital síria, uma posição do Exército de Assad e outra do Hezbollah.

A Força Aérea israelita não confirmou nem desmentiu a notícia, mas esta é dada como certa pelo diário Jerusalem Post, que cita a televisão síria e o jornal Rai al-Youm, baseado em Londres, para referir que um dos alvos era uma caravana de veículos transportando armas do Hezbollah e o outro um arsenal do 4º Batalhão do Exército sírio.

Segundo as agências noticiosas sírias, a Força Aérea israelita atravessou o espaço aéreo libanês e desferiu os seus ataques na madrugada de hoje, na cidade de Ass'saboura, próximo de Damasco.

Admite-se que o percurso feito a sobrevoar o Líbano resultasse da preocupação israelita de evitar os sistemas de defesa antiaérea russos S-300 e S-400, que têm limitado consideravelmente a liberdade de movimentos da Força Aérea israelita.

Também a televisão Al Maydeen, do Hezbollah, confirmou os bombardeamentos, explicando-os como uma tentativa de Israel para intervir na guerra civil síria a favor de "organizações terroristas" e para minorar a dimensão da derrota que essas organizações vêm sofrendo perante o Exército sírio.

Contudo, é certo que no início desta semana jactos israelitas bombardearam também uma posição do "Estado Islâmico" em território sírio, causando quatro mortos nessa posição.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.