Guterres em primeiro encontro na ONU para "ouvir e aprender"

| Mundo

O secretário-geral da ONU designado, António Guterres, reuniu-se hoje pela primeira vez com os estados-membros das Nações Unidas, para "ouvir e aprender."

"Estou aqui para ouvir e para aprender", disse o antigo primeiro-ministro português no início do encontro informal com a Assembleia-geral da ONU.

António Guterres apresentou-se no encontro com a sua equipa de transição, constituída por cinco pessoas, entre as quais o diplomata português João Madureira.

O antigo Alto-comissário para os Refugiados disse que a equipa cumpre os critérios "de competência, paridade de género e diversidade regional" que espera marcarem o seu mandato como secretário-geral.

"É simbólico de como todos gostaríamos de ver a ONU a funcionar", disse Guterres.

No encontro, com a duração prevista de três horas, todos os Estados-membros da ONU poderão fazer intervenções.

As primeiras intervenções centraram-se nos elogios à escolha de António Guterres e à transparência do processo que levou à sua eleição.

"Houve um nível sem precedentes de transparência", disse um dos primeiros participantes, o português João Vale de Almeida, embaixador da União Europeia junto da ONU.

Tópicos:

ONU,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.