Hezbollah condena atentado de Paris

| Mundo

|

O dirigente chiita libanês Sayyed Hassan Nasrallah condenou em termos invulgarmente duros o atentado contra o semanário satírico "Charlie Hebdo". Segundo Nasrallah, este tipo de atentados prejudica mais o Islão do que qualquer caricatura.

O líder do Hezbollah, citado pela agência Reuters, afirmou que os "terroristas takfiri" (apóstatas ou renegados) ofendem o Islão "ainda mais do que aqueles que atacaram o mensageiro de Deus [Maomé] com livros retratando o profeta ou fazendo filmes retratando o profeta ou desenhando cartoons do profeta".

O Hezbollah encontra-se na lista oficial norte-americana de organizações terroristas, mas tem estado a combater o "Estado Islâmico" (ISIS) em aliança aberta com o regime sírio de Bashar al-Assad e em tácita colaboração com as forças norte-americanas que têm vindo a bombardear o ISIS.

O discurso de Nasrallah foi exibido perante apoiantes do Hezbollah por meio de uma gravação em vídeo, em comemorações do aniversário de Maomé nos arredores de Beirute (na foto).

A informação mais vista

+ Em Foco

A Girl Move Academy existe há quatro anos com o objetivo de criar uma geração de mulheres líderes.

    Em entrevista à RTP, o paquistanês Ahmad Nawaz recorda o ataque de 2014 a uma escola de Peshawar.

    Fotografias da autoria do artista berlinense Martin Dammann lançam luz sobre o lado mais obscuro da Wehrmacht.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.