Infarmed suspendeu vacinas RotaTeq e Prevenar 13 por suspeita de reação adversa

| Mundo

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) determinou, como medida de precaução, a suspensão imediata da utilização das vacinas RotaTeq e Prevenar 13 por suspeita de reação adversa grave em crianças.

De acordo com uma circular informativa do Infarmed, foi suspenso o lote n.º 1590AA/0671579, com prazo de validade até 31 de maio de 2013, da solução oral RotaTeq, contra o rotavírus, uma das principais causas de gastroenterite nas crianças, e do lote n.º F73745 (917690), com validade até 31 de maio de 2014, da vacina injetável Prevenar 13, para a prevenção da pneumonia.

"Atendendo a que estes medicamentos são dispensados em farmácias e administrados por profissionais de saúde, as entidades que possuam estes lotes de medicamentos não os devem dispensar ou administrar, até que seja concluída a avaliação resultante da presente situação", conclui a nota daquela autoridade.

De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, esta decisão do Infarmed estará relacionada com a morte, na segunda-feira, de um bebé de seis meses numa creche em Camarate, Loures, que tinha sido recentemente vacinado.

Segundo o diretor-geral da Saúde, Francisco George, citado pelo mesmo diário, o corpo da criança foi autopsiado na terça-feira na delegação Sul do Instituto de Medicina Legal, cujos especialistas estão "a tentar perceber o que se passou" e "irão esclarecer as causas da morte", garantindo que este é o único caso registado com estas características.

Tópicos:

RotaTeq,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Na primeira entrevista pós-autárquicas, à Antena 1, Jerónimo de Sousa não poupou nas palavras. Afirmou que o "Governo ficou mal na fotografia e subestimou a situação" dos fogos.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Acionar o artigo 155 da Constituição espanhola representa um momento único na História de Espanha. O Governo de Madrid já definiu os setores que quer controlar de imediato.