Infarmed suspendeu vacinas RotaTeq e Prevenar 13 por suspeita de reação adversa

| Mundo

A Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) determinou, como medida de precaução, a suspensão imediata da utilização das vacinas RotaTeq e Prevenar 13 por suspeita de reação adversa grave em crianças.

De acordo com uma circular informativa do Infarmed, foi suspenso o lote n.º 1590AA/0671579, com prazo de validade até 31 de maio de 2013, da solução oral RotaTeq, contra o rotavírus, uma das principais causas de gastroenterite nas crianças, e do lote n.º F73745 (917690), com validade até 31 de maio de 2014, da vacina injetável Prevenar 13, para a prevenção da pneumonia.

"Atendendo a que estes medicamentos são dispensados em farmácias e administrados por profissionais de saúde, as entidades que possuam estes lotes de medicamentos não os devem dispensar ou administrar, até que seja concluída a avaliação resultante da presente situação", conclui a nota daquela autoridade.

De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, esta decisão do Infarmed estará relacionada com a morte, na segunda-feira, de um bebé de seis meses numa creche em Camarate, Loures, que tinha sido recentemente vacinado.

Segundo o diretor-geral da Saúde, Francisco George, citado pelo mesmo diário, o corpo da criança foi autopsiado na terça-feira na delegação Sul do Instituto de Medicina Legal, cujos especialistas estão "a tentar perceber o que se passou" e "irão esclarecer as causas da morte", garantindo que este é o único caso registado com estas características.

Tópicos:

RotaTeq,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.