Mexicano que esteve mais de um ano à deriva no mar socorrido nas Ilhas Marshall

| Mundo

As autoridades das Ilhas Marshall irão transferir para Majuro, a capital do país do Pacífico Sul, um pescador mexicano que garante ter passado mais de um ano à deriva, revelou a imprensa local.

O homem, identificado como José Iván, terá zarpado do México no final de 2012 numa expedição de pesca de tubarões em El Salvador, junto com um companheiro que, alegadamente, morreu há uns meses em alto mar.

O barco de José Iván, de sete metros, foi rebocado quinta-feira até um recife perto do atol de Ebon, nas Ilhas Marshall, onde os habitantes experimentaram algumas dificuldades em falar com o pescador que apenas domina o espanhol.

O diretor do Marshall Islands Journal, Giff Johnson, disse à cadeia australiana ABC que os residentes de Ebon relataram que o "náufrago estava com uns calções já muito gastos e que o barco parecia ter estado na água por muito tempo".

O mexicano, que ao chegar a terra tinha a aparência de um "desnutrido", disse que sobreviveu todo o tempo bebendo sangue de tartaruga quando faltava a água da chuva e comendo tartarugas, aves e peixes que caçava com as mãos.

As autoridades das Ilhas Marshall enviaram uma embarcação para transferir o pescador e, mais tarde, entrarão em contacto com as autoridades mexicanas.

Tópicos:

Ebon Ilhas, Pacífico,

A informação mais vista

+ Em Foco

Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1 para Assuntos Internacionais, debruça-se sobre a fase decisiva do processo de impeachment no Brasil.

O padre jesuíta Nuno da Silva Gonçalves vê a universidade como um grande laboratório da Igreja Católica com alunos de 130 países.

A ponte que começou por se chamar Salazar e recebeu, depois da Revolução dos Cravos, a designação de 25 de Abril cumpriu meio século. A RTP assinalou o aniversário com um dossier multimédia.

    Uma rubrica do site da RTP e do Jornal 2 dentro do contexto evocativo do centenário da Grande Guerra. Será emitida todas as segundas-feiras.