Novos naufrágios ao largo da Grécia fazem 22 mortos

| Mundo

|

Pelo menos 22 migrantes, incluindo 12 crianças, morreram durante a noite de quinta-feira em dois naufrágios no Mar Egeu. A frequência e os desfechos trágicos destes incidentes têm aumentado nos últimos dias devido ao agravamento do estado do tempo.

A polícia portuária grega confirma a morte de pelo menos 22 migrantes em dois naufrágios ao largo das ilhas de Kalymos e Rhodes. As autoridades conseguiram resgatar 144 migrantes que viajavam nas duas embarcações vindas da Turquia, mas não conseguiram evitar o afogamento de várias pessoas.
 
O naufrágio de Kalymos foi o mais trágico, tendo registado 19 vítimas mortais, entre elas seis mulheres, oito crianças e dois bebés. Em Rhodes, uma mulher, uma criança e um bebé não resistiram após o afogamento. 

Estes não foram os únicos incidentes registados na noite de quinta para sexta-feira. No Mar Mediterrâneo, pelo menos quatro pessoas morreram depois do naufrágio de uma embarcação que transportava mais de 50 migrantes e que partiu de Marrocos em direção a Espanha.
Corredores de morte
Com o agravamento do estado do tempo e os ventos fortes em alto mar, sobretudo no Egeu, a travessia de milhares de migrantes desde a Turquia até à Grécia tem provocado cada vez mais vítimas por afogamento.

Reportagem de João Botas e João Caldeirinha - Telejornal RTP (29-10-2015)

A faixa de passagem tornou-se num corredor de morte, um cenário que cada vez mais se repete. Na quarta-feira morreram pelo menos 11 pessoas, incluindo sete crianças, após um naufrágio ao largo da ilha de Lesbos. Até ao final do dia de ontem, 40 pessoas continuavam desaparecidas.

Tópicos:

Egeu, Mediterrâneo, Naufrágio, Refugiados, Grécia,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Cuba está a viver um momento histórico. O país é comandado pela família Castro desde 1959, ano da revolução.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.