Operadora junket fecha salas VIP em casinos de Macau

por Lusa

A operadora junket David Group, que angaria grandes apostadores em Macau, vai fechar três das suas sete salas VIP e expandir para outros países asiáticos devido à campanha anticorrupção da China, noticia a Bloomberg.

A empresa, que opera salas para grandes jogadores nos casinos da Sands China e da Wynn Macau, tomou esta decisão tendo em conta as quedas das receitas sentidas no ano passado, que em dezembro foram na ordem dos 30% e se fizeram sentir mais fortemente no setor VIP.

Numa entrevista telefónica à Bloomberg, Frank Ng, diretor de comunicação da empresa, disse que a operadora está a "ajustar a estratégia", salientando que esta é "uma tendência geral na indústria".

"Estamos a hibernar. Quando acordarmos, podemos recomeçar", disse, explicando que a empresa pode voltar a abrir as salas quando as condições do mercado melhorarem.

A David Group juntou-se a outras operadoras junket, incluindo a Suncity Group e a Hengsheng Group, na expansão para mercados além de Macau depois de a cidade ter sofrido a sua primeira queda anual de receitas, de 2,6%.

O plano de expansão para o exterior é também uma forma de seguir as recomendações do Governo de Macau para desenvolver a cidade como um destino global de turismo, disse Ng.

Em declarações aos jornalistas no domingo, o novo secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, negou que as salas VIP estejam a encerrar em massa, mas confirmou que pelo menos uma empresa estava a fazê-lo.

Dados compilados pela agência Lusa apontam para uma queda em janeiro das receitas do jogo superior a 10%, mas que não deverá ultrapassar os 20%.

Tópicos
pub