Retirados seis milhões de alimentos congelados por conterem pesticidas no Japão

| Mundo

Uma investigação foi aberta no Japão depois de uma empresa nipónica ter anunciado a retirada do mercado de 6,3 milhões de alimentos congelados por conterem um pesticida, revelou hoje a agência Kyodo.

O processo de retirada dos produtos, em que se incluem croquetes e pizas, iniciou-se no domingo, depois de a Aqlifoods, uma filial do gigante dos congelados Maruha Nichiro, ter detetado a presença de um fosfato orgânico utilizado como inseticida e antídoto contra piolhos.

O alarme soou em novembro após vários clientes se terem queixado do odor dos produtos.

A polícia suspeita que o pesticida possa ter sido misturado com a comida de forma intencional, já que esta substância não é utilizada no fabrico de congelados e as doses encontradas eram demasiado elevadas.

A maior concentração foi detetada num pacote de croquetes congelados, vendidos em Tóquio, que continham uma dosagem 1,5 milhões superior ao permitido, segundo revelou a Aqlifoods.

Até ao momento, foram detetados resíduos do pesticida em amostras de nove produtos diferentes.

Apesar de inicialmente se ter descartado que o conteúdo do fosfato era muito prejudicial, a empresa de congelados reconheceu hoje, numa conferência de imprensa, que uma pessoa com um peso de cerca de 60 quilogramas poderia intoxicar-se se comesse um terço de um croquete contaminado.

Atualmente, não há qualquer indicação sobre uma pessoa que tenha ficado doente após ter consumido os produtos.

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.