Suspensão de Schengen pela Alemanha é "toque a reunir"

| Mundo
Suspensão de Schengen pela Alemanha é toque a reunir

O comentador da Antena1 e RTP para Assuntos Internacionais Bernardo Pires de Lima faz a leitura política da decisão hoje anunciada pela Alemanha.

A suspensão temporária do acordo de Schengen decretada pela Alemanha para fazer face à crise dos refugiados é a prova de que nem um país com "muito boa vontade, poderoso e rico como a Alemanha" pode resolver unilateralmente este drama humanitário. O comentador da Antena1 lembra que amanhã vai realizar-se, em Bruxelas, uma reunião dos ministros da Administração Interna da UE e que a decisão tomada por Berlim é um sinal aos restantes países no sentido de que a solução para a crise dos refugiados tem de ser encontrada em comum, o que obrigará países mais renitentes, como a Áustria e a Hungria, a fazer cedências.

A suspensão temporária livre circulação de pessoas é uma prerrogativa prevista no acordo de Schengen. A suspensão do acordo já aconteceu por diversas ocasiões ao longo dos anos. Pires de Lima lembra que Portugal já o fez durante o Europeu de futebol de 2004 e na Cimeira da NATO em 2009.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 260 episódios, o projeto chegou às mais diversas áreas: saúde, engenharias, astronomia, tecnologia, química, história, filosofia, desporto ou geografia.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.