Suspensão de Schengen pela Alemanha é "toque a reunir"

| Mundo
Suspensão de Schengen pela Alemanha é toque a reunir

O comentador da Antena1 e RTP para Assuntos Internacionais Bernardo Pires de Lima faz a leitura política da decisão hoje anunciada pela Alemanha.

A suspensão temporária do acordo de Schengen decretada pela Alemanha para fazer face à crise dos refugiados é a prova de que nem um país com "muito boa vontade, poderoso e rico como a Alemanha" pode resolver unilateralmente este drama humanitário. O comentador da Antena1 lembra que amanhã vai realizar-se, em Bruxelas, uma reunião dos ministros da Administração Interna da UE e que a decisão tomada por Berlim é um sinal aos restantes países no sentido de que a solução para a crise dos refugiados tem de ser encontrada em comum, o que obrigará países mais renitentes, como a Áustria e a Hungria, a fazer cedências.

A suspensão temporária livre circulação de pessoas é uma prerrogativa prevista no acordo de Schengen. A suspensão do acordo já aconteceu por diversas ocasiões ao longo dos anos. Pires de Lima lembra que Portugal já o fez durante o Europeu de futebol de 2004 e na Cimeira da NATO em 2009.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.