Suspensas operações de busca do avião da Malaysia Airlines desaparecido no Golfo da Tailândia

| Mundo

As equipas de resgate suspenderam até domingo a busca aérea do avião da Malaysia Airlines, que desapareceu hoje com 239 pessoas a bordo quando sobrevoava o Golfo da Tailândia, ao sul do Vietname, informou a transportadora.

A medida foi adotada ao cair da noite na região, cerca de 17 horas depois de a torre de controlo de Subang ter perdido o contacto com o Boeing 777-200 que fazia o voo MH3700, que saiu de Kuala Lumpur às 00:41 (16:41 de sexta-feira em Lisboa) e que deveria chegar a Pequim, na China, seis horas mais tarde.

"Uma missão internacional de busca e resgate foi mobilizada esta manhã. Por esta altura, as nossas equipas de resgate da Malásia, de Singapura e do Vietname não conseguiram encontrar nenhum vestígio do avião", afirmou a Malaysia Airlines no último comunicado, noticiado pela AFP, em que refere ainda que "a missão marítima vai continuar, apesar de a missão aérea ser retomada só ao amanhecer".

A companhia aérea e as autoridades da Malásia evitaram, para já, confirmar o acidente que, segundo a Marinha vietnamita, ocorreu a cerca de 300 quilómetros da ilha de Tho Chu, informou o portal `Tuoi Tre`.

O Exército da Malásia continua em contacto com as autoridades do Vietname para confirmar a possível localização do acidente, para onde a Malásia, o Vietname e Singapura enviaram embarcações aos meios aéreos.

Entretanto, a China mantém oito embarcações em alerta e está à espera de ordens, tendo também uma frota aérea preparada para descolar para a zona.

O avião transportava 227 passageiros, incluindo menores, e uma tripulação de 12 pessoas, estando a bordo 14 nacionalidades distintas.

Tópicos:

Exército, Golfo, Malásia Vietname,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.