UNICEF diz que 100 mil crianças vivem "inferno vivo" em Alepo

| Mundo
UNICEF diz que 100 mil crianças vivem inferno vivo em Alepo

A ver: UNICEF diz que 100 mil crianças vivem "inferno vivo" em Alepo

A situação em Alepo motivou uma reunião de urgência do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Os estados-membros reúnem-se ao início desta tarde num encontro a pedido da França, que exige medidas para salvar a população civil da cidade síria.

Ainda hoje, a UNICEF deixou um apelo no mesmo sentido e alertou para um número dramático: há cem mil as crianças a viver num "inferno vivo" em Alepo.

Já esta manhã, nos confrontos entre o exército sírio e os rebeldes, na zona oriental da cidade, morreram 21 civis, entre eles duas crianças.

As tropas de Damasco estão nesta altura a ganhar terreno e a reconquista de Alepo é considerada pelo regime como a maior vitória de Bashar al-Assad desde o início do conflito, em Março de 2011.

A informação mais vista

+ Em Foco

Entrevista exclusiva de Rui Rio à editora de política da RTP Luísa Bastos.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.