UNICEF diz que 100 mil crianças vivem "inferno vivo" em Alepo

| Mundo
UNICEF diz que 100 mil crianças vivem inferno vivo em Alepo

A ver: UNICEF diz que 100 mil crianças vivem "inferno vivo" em Alepo

A situação em Alepo motivou uma reunião de urgência do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Os estados-membros reúnem-se ao início desta tarde num encontro a pedido da França, que exige medidas para salvar a população civil da cidade síria.

Ainda hoje, a UNICEF deixou um apelo no mesmo sentido e alertou para um número dramático: há cem mil as crianças a viver num "inferno vivo" em Alepo.

Já esta manhã, nos confrontos entre o exército sírio e os rebeldes, na zona oriental da cidade, morreram 21 civis, entre eles duas crianças.

As tropas de Damasco estão nesta altura a ganhar terreno e a reconquista de Alepo é considerada pelo regime como a maior vitória de Bashar al-Assad desde o início do conflito, em Março de 2011.

A informação mais vista

+ Em Foco

É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.

Constança Urbano de Sousa garante que enquanto tiver confiança do primeiro-ministro não vai sair do Executivo.

Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.