YouTube, dez anos a mostrar o mundo na internet

| Especial Informação

|

São dez anos a mostrar ao mundo quase tudo o que os internautas gravam. Humor, músicas, tutoriais, aulas, só não entra pornografia nem propaganda à violência.

Foi precisamente a plataforma de uploads de vídeos YouTube que revolucionou a forma de mostrar como somos e o que fazemos.
O primeiro vídeo - Me at the zoo
No dia 23 de abril de 2005, o primeiro vídeo do YouTube foi descarregado para o sistema e hoje, dez anos após a sua colocação, conta já com mais de 19 889 600 visualizações.

Um vídeo de 18 segundos que retrata uma visita feita por um jovem, Jawed Karim, a uma jaula dos elefantes num jardim zoológico de San Diego, na California, Estados Unidos.

O autor do vídeo é hoje um dos co-fundadores da plataforma digital que conta com mais de 1 bilião de utilizadores em todo o mundo.

O online da RTP, neste dia em que se comemora os dez anos do primeiro vídeo público, foi procurar dois YouTubers portugueses e mostrar como esta ferramenta também mudou a vida destes jovens nacionais.

Como surgiu o YouTube?
Jawed Karim afirma que a ideia inicial do site foi dele, após encontrar algumas dificuldades em descobrir na Internet alguns vídeos do desastre natural ocorrido em 2004 na zona da Indonésia e Tailândia (tsunami), mas não só.

Jawed era também curioso e procurou pelo “acidente de figurino” de Janet Jackson no Super Bowl daquele ano, quando um dos seios da cantora ficou à mostra. Poucos meses depois, o YouTube nasce, consolida-se e torna-se uma rede social de vídeos, tendo Jawed conseguido o seu objetivo.

Esta ferramenta, feita por Jawed e mais dois amigos, foi vendida posteriormente à Google por 1,6 mil milhões de dólares em novembro de 2006, atual detentora dos direitos do canal interactivo na World Wide Web.

Tópicos:

10 Anos, Google, Jawed Karim, Maria Ferreras, Me at the Zoo, Miguel Luz, Tânia Argent, YouTube,

A informação mais vista

+ Em Foco

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    Segundo um relatório da Amnistia Internacional, o número de mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal continua elevado.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.