Angélica André bate o mais antigo recorde absoluto português

| Outras Modalidades

A natação portuguesa continua a evoluir com jovens talentos
|

A nadadora Angélica André bateu hoje o mais antigo recorde absoluto português, estabelecido há 29 anos, ao nadar os 1.500 metros livres em piscina curta em 16.46,74 minutos, durante o torneio Nadador Completo, que decorre em Lousada.

 Angélica André, de 18 anos, melhorou a marca de 16.48,20 estabelecida por Alexandra Silva a 15 de janeiro de 1983, na antiga piscina das Antas.
 
    A nadadora do Leixões Sport Clube, que já era recordista da distância em piscina longa, afirmou que os seus objetivos futuros passam pela tentativa de melhorar marcas e pelo apuramento olímpico.  
 
    "Os próximos objetivos passam pela melhoria das minhas marcas nas provas de natação pura nos campeonatos nacionais. Nas Águas Abertas vou nadar na próxima semana o Campeonato Nacional de 10 quilómetros pela primeira vez. Vou lutar para estar presente na Qualificação Olímpica que vai decorrer em Setúbal", disse, em declarações ao sítio da Federação Portuguesa de Natação na Internet.  
 
    O treinador Rui Borges assegurou que "as águas abertas são uma aposta" da nadadora.  
 
    "Vamos tentar que ela seja uma das duas representantes portuguesas na prova de Qualificação Olímpica em Setúbal. Vamos lutar pelo apuramento para os Jogos Olímpicos de Londres", frisou o técnico.   
 
    A anterior recordista, Alexandra Silva, já deu os parabéns a Angélica André e admitiu não esperar "que a marca durasse tantos anos".  
 
      

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.