340 mortos em acidentes na estrada desde o ínicio do ano

| País

Os acidentes nas estradas portuguesas provocaram, deste o início do ano, 340 vítimas mortais, menos 9,5 por cento do que em 2011, indicam dados hoje divulgados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

A ANSR, que reúne dados da PSP e da GNR, indica que, entre 01 de janeiro e 31 de julho, 340 pessoas morreram em consequência de acidentes rodoviários, menos 36 do que em igual período do ano passado, quando morreram 376.

Segundo a ANSR, os distritos do Porto, com 54 vítimas mortais, de Lisboa, com 45, e Aveiro, com 31, foram os que registaram o maior número de mortos nos primeiros sete meses do ano.

Évora e Guarda foram os distritos com menos vítimas mortais, tendo-se registado três mortos em cada um deles.

Os dados provisórios, que apenas dizem respeito às mortes no local do acidente ou no caminho para o hospital, referem também que 1.174 pessoas ficaram gravemente feridas entre janeiro e julho, menos 12,4 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com a ANSR, nos primeiros sete meses do ano sofreram ainda ferimentos ligeiros nos acidentes rodoviários 19.750 pessoas, menos 2.940 do que em 2011.

Tópicos:

Aveiro, Rodoviária ANSR,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à Antena 1, o antigo Presidente da República percorre os contornos do pacto estratégico para o país que propôs dois dias antes do 25 de Abril. E elogia o secretário-geral do PCP.

A organização do Festival da Canção criou um documento “não exaustivo” de exemplos de bandeiras que não são aceites no concurso - nove ao todo, entre estas a bandeira basca.

    Cinco homens, quatro mulheres, nove candidatos à posição de secretário-geral da Organização das Nações Unidas. Incluindo o antigo primeiro-ministro português António Guterres.

      Completam-se agora 100 anos sobre o início da beligerância portuguesa. Uma data assinalada pela RTP com a publicação online dos seus mais significativos materiais de arquivo sobre o tema.