Campanha para incentivar natalidade choca com pressões patronais

| País
Campanha para incentivar natalidade choca com pressões patronais

A ver: Campanha para incentivar natalidade choca com pressões patronais

Portugal tem empresas que só aceitam trabalhadoras que concordam em não engravidar nos primeiros 5 anos de trabalho. A denúncia foi feita ao Sexta às 9 pelo coordenador nomeado pelo Governo para realizar um plano de incentivo à natalidade. Mas há muito mais: descobrimos mulheres que foram despedidas depois de terem engravidado. Outras que mentiram para conseguir um emprego. É esta a dura realidade num país onde nascem cada vez menos crianças e onde há cada vez mais mulheres desempregadas a abortar. Dados provisórios do INE dizem que no ano passado em Portugal nasceram apenas 83 mil crianças, o número mais baixo de sempre desde 2010.

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.