Cartas de Risco Geológico das nove ilhas permitem identificar zonas de potencial perigo

| País

O Governo dos Açores anunciou hoje que serão disponibilizadas "em breve" na Internet cartas de risco com informações sobre perigos naturais nas nove ilhas do arquipélago, documentos considerados importantes para a adoção de medidas preventivas.

"As cartas de risco permitem fazer uma avaliação de território do ponto de vista da sua vulnerabilidade em diversos eventos. O objetivo não é a determinação de locais concretos de perigo, mas ter informação que permita tomar decisões, analisando diversos fatores", afirmou Álamo Meneses, secretário regional do Ambiente, no final de uma reunião com o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA).

Esses riscos, segundo o secretário regional, estão relacionados com a instabilidade de taludes ou vertentes, a existência de zonas de risco vulcânico, sísmico ou de inundação, mas também com perigos relacionados com a vertente tecnológica, como instalações e zonas de armazenamento de combustíveis.

Álamo Meneses salientou que esta informação "destina-se a ser incorporada nos planos especiais de ordenamento de território de cada ilha e na revisão dos planos diretores municipais de cada autarquia".

"Estes instrumentos não proíbem nem permitem nada, é apenas informação", afirmou o secretário regional, acrescentando que estão a ser elaboradas cartas de risco para cada ilha, que "em breve" serão disponibilizadas na Internet.

Por seu lado, Gabriela Queirós, do CIVISA, sublinhou que se trata de "analisar no terreno cada um dos perigos que existem em cada uma das nove ilhas para que, posteriormente, sejam tomadas medidas mitigadoras" para a diminuição desses riscos.

"Naturalmente, poderão existir zonas mais sujeitas ao perigo do que outras, mas não devemos apontar só os fatores de ordem geológica", afirmou, salientando que "existem fatores de construção e do tipo de infraestruturas que se podem ter em conta para minimizar o perigo".

Gabriela Queirós considerou que as cartas de risco são instrumentos "importantes", a par de "uma monitorização contínua de prevenção e ordenamento" que é realizada no arquipélago.

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.