Movimento Sem Emprego exigem medidas de apoio a quem está sem trabalho

| Política

Os manifestantes do Movimento Sem Emprego (MSE) exigiram hoje junto do Parlamento medidas de apoio aos desempregados, num momento em que o desemprego jovem atinge mais de 30 por cento.

"O trabalhador desempregado não quer esmola, quer direitos para si e para os seus", refere o manifesto aprovado pelos elementos que se concentraram hoje junto à Assembleia da República, depois de um percurso de uma hora desde o Largo Camões, em Lisboa.

O percurso decorreu sem incidentes e foi marcado por palavras de intervenção contra o Governo e muita canções, adaptando as letras de algumas bandas comerciais, como "Coelho Gaspar, Ai. assim você me mata, queremos trabalho", de Michel Teló, ou "Troika olha o desemprego, troika quero trabalhar, troika vai-te embora trabalhar, troika não te queremos cá", dos Pet Shop Boys.

Reunidos em frente ao edifício do Parlamento, um elemento da organização do MSE leu um manifesto que chamava a atenção dos políticos para o "aumento do desemprego, do trabalho precário e trabalho sem direitos".

Depois da leitura do texto, os manifestantes intervieram com testemunhos pessoais da sua situação de desemprego.

Ao longo da manifestação, os participantes distribuíram panfletos a convocar para repetir a manifestação do "15 de outubro".

SIM.

Tópicos:

Michel Teló,

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi há 50 anos que o Homem partiu para a Lua. De Cabo Canaveral, nos EUA, seguiram três astronautas para colocar os nomes na história da humanidade.

Ouvido pela RTP, o artista chinês mostra-se convicto de que Hong Kong e Macau não serão, no futuro, controlados pela China.

Começa a legislatura do Parlamento Europeu saído das últimas eleições. Conheça aqui os eurodeputados portugueses e as suas prioridades.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.