Polícia Judiciária inaugura nova sede 35 anos depois

| País
Polícia Judiciária inaugura nova sede 35 anos depois

Foto: Patrícia Cerdeira/Antena1

A Polícia Judiciária (PJ) concretiza o sonho de uma nova sede, 35 anos depois. Situada também na Rua Gomes Freire, no antigo espaço da Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa, a nova sede concentra a partir de agora todos os serviços que estavam até aqui espalhados por sete edifícios diferentes.

A nova sede, que custou 80 milhões de euros, foi construída com os mais elevados padrões de segurança e qualidade, destacando-se os pinos na porta de entrada contra embates de viaturas pesadas, vidros à prova de bala e um enorme dispositivo interno de segurança.

A sala de situação fica no ‘bunker’, dois pisos abaixo do solo e está dotada de tecnologia de ponta. No topo do edifício, uma das maiores novidades é um heliporto para helicópteros pesados que pode ser usado pelas Forças Armadas.

Os primeiros serviços começam a ser transferidos ainda este mês e a PJ vai poupar no aluguer dos sete edifícios que ocupa em Lisboa. A antiga sede mantém-se e está ligada ao novo edifício por um corredor de vidro.

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.