Portugal adere Organização Internacional de defesa dos Direitos Humanos

| País

Portugal tem desde hoje uma representação permanente da Organização Internacional de Biopolítica (Biopolitics International Organization, BIO), que assume, à escala mundial, a defesa dos direitos humanos, em vários contextos.

Com representações nos cinco continentes, a BIO é uma organização não governamental com sede em Atenas e que existe desde 1985 por iniciativa de uma bióloga defensora dos direitos humanos fundamentais.

A BIO pretende defender os valores da dignidade da pessoa, "mas numa interface saudável com o ambiente que nos rodeia", explicou Rui Nunes, co-fundador da representação portuguesa e responsável pelo serviço de Bioética e Ética Médica da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

"Não se trata apenas de defender os direitos das pessoas, mas também de chamar a atenção de que o ambiente que nos rodeia é fundamental para a sobrevivência, a longo prazo, da espécie", frisou o também presidente da Entidade Reguladora da Saúde.

Explicando que à BIO "interessam as políticas e não a política", Rui Nunes admitiu, contudo, que esta organização não governamental aspira a influenciar as decisões dos poderes constituídos.

Além de Rui Nunes, integram a representação portuguesa da BIO figuras como Daniel Serrão, especialista em bioética, e Maria Barroso, na sua qualidade de presidente da Fundação Pró-Dignidade.

Com sede na Faculdade de Medicina do Porto, no Hospital de São João, a representação portuguesa da BIO tentará envolver a sociedade civil num debate sobre questões de ordem ética e jurídica relacionadas com os direitos humanos.

"Numa primeira fase, vamos realizar seminários e congressos, promovendo também publicações sobre a matéria. Pensamos envolver-nos depois em projectos educativos", adiantou Rui Nunes.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.