Preços elevados da EDP compensam energias renováveis, apontam os acionistas chineses

| Economia
Preços elevados da EDP compensam energias renováveis, apontam os acionistas chineses

Foto: José Manuel Ribeiro - Reuters

Lin Chixue, responsável da China Three Gorges, refere que os preços são altos porque cobrem o investimento nas energias renováveis.

O vice-presidente da China Three Georges, maior acionista da EDP, respondeu às perguntas dos jornalistas portugueses no dia em que o Eurostat divulgou que os preços da eletricidade portuguesa são os mais altos da Europa, quanto relacionados com o poder de compra da população.  
 
“Quando se faz um plano de investimento na energia, temos de ter em conta as empresas, as famílias e os consumidores. Na Península Ibérica, a EDP está empenhada em desenvolver as energias renováveis. Para esse investimento pesado, tem de haver um retorno”, justificou Lin Chiunxue.
 
A China Three Gorges detém 21,35 por cento da EDP e já saiu do período em que não podia comprar ou vender ações das Energias de Portugal.  
 
Lin Chinxue, vice-presidente da empresa chinesa, garante que não há interesse em reduzir a participação. Por outro lado, um reforço do investimento só dependerá de como forem tratados em Portugal.  
 
“Não vamos reduzir a nossa posição na EDP, disso tenho a certeza. Para ver se vamos reforçar, temos de ver como será a EDP no futuro e temos de ver as reações da sociedade portuguesa ao investimento em Portugal”, salienta o responsável chinês.  

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.