Sete portugueses mortos trabalhavam para empresa de construção

| País

Os sete portugueses que morreram segunda-feira numa colisão entre dois veículos em Huesca, nordeste de Espanha, já foram identificados e trabalhavam para uma empresa de construção civil espanhola, disse à Lusa fonte do governo espanhol naquela província.

De acordo com a mesma fonte, trata-se da empresa Esmabafone - Serviços de Construção.

Por outro lado, o secretário de Estado das Comunidades, Carlos Gonçalves, disse à agência Lusa que o governo português está a proceder neste momento, em colaboração com as autoridades espanholas, à notificação das famílias das vítimas, que residiam em Espanha.

Só depois de as famílias serem notificadas é que as autoridades portuguesas divulgarão o nome das vítimas mortais e do ferido grave.

Os portugueses, que ao todo eram oito, viajavam numa carrinha de passageiros, de marca e modelo Seat Scudo e matricula HU-73-70, estando o único sobrevivente, ferido gravemente, internado num hospital da região.

Além dos sete portugueses morreu também um homem de nacionalidade espanhola, único ocupante do segundo veículo, um todo-o- terreno Mitsubishi, com a matrícula 7374-BFJ.

O choque entre os dois veículos ocorreu na estrada N-330, que liga Alicante a França, no quilómetro 61, entre as localidades de Sabiñanigo e Jaca.

Os veículos colidiram numa zona recta e na origem do acidente poderá ter estado uma ultrapassagem mal calculada, admitem as autoridades espanholas.

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.