Terminou ajuda humanitária da equipa portuguesa

| País

Terminou ajuda humanitária da equipa portuguesa

Um dos principais problemas com que as forças internacionais presentes no Haiti se deparam no momento presente é com as pilhagens que as populações paupérrimas efectuam nas lojas | David Fernandez, EPA

A equipa portuguesa de ajuda humanitária no Haiti partiu ao início da tarde deste sábado de Port-au-Prince, deixando a actuar no terreno os sete elementos da AMI, que continuarão a dar apoio às vítimas do terramoto.

O Hércules C130 da Força Aérea Portuguesa, com partida prevista para as 09h00 locais deste sábado, registou algum atraso e apenas pelas 10h50, (15h50, hora de Lisboa) levantou voo com rumo às Bermudas.

Após essa escala técnica, seguirá para a Base das Lajes, no arquipélago dos Açores, onde permanecerá durante 12 horas para que a tripulação possa descansar, estando a chegada a Lisboa prevista para as 24h00 de domingo (hora portuguesa).

Nas duas semanas que ora terminam, médicos e enfermeiros da Assistência Médica Internacional (AMI) e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), elementos da Protecção Civil, bem como bombeiros e jornalistas, viveram em tendas instaladas a poucos metros da pista do aeroporto internacional da capital do Haiti.

Durante duas semanas apoiaram a população e essencialmente montaram um campo para desalojados haitianos. São 600 os haitianos que vivem no Campo Azul da União Portugal Haiti.

O Campo Azul da União Portugal Haiti estabeleceu parcerias com várias organizações o que lhe permitirá ter água, casas de banho e até um orfanato montado numa tenda para acolher as crianças que perderam os familiares no terramoto do passado dia 12 de Janeiro.
.
A Assistência Médica Internacional vai ficar no terreno durante os próximos dois meses e, apesar das dificuldades e da insegurança crescente, os voluntários da AMI dizem que já estão habituados a operar nestas circunstâncias.

Tópicos:

AMI, Haiti, Sismo,

A informação mais vista

+ Em Foco

O líder do Partido Democrático Republicano (PDR) assumiu a pretensão de chegar a primeiro-ministro.

    Milhares de migrantes procuram refúgio na Europa em fuga da guerra e da instabilidade no Médio Oriente e África.

      A rádio pública completou 80 anos. Assinalámos a data com cinco entrevistas e outras cinco reportagens.

        Tire uma fotografia, escreva um e-mail com nome, local e descrição e envie para ferias@rtp.pt.