Três projetos na área oncológica vencem Prémios Pfizer

| País

Três projetos que poderão contribuir para a luta contra o cancro, dois em pesquisa básica e um em investigação clínica, venceram este ano os Prémios de Investigação Pfizer, que serão hoje entregues em Lisboa.

No ano em que os Prémios Pfizer comemoram 55 anos de história, os três trabalhos vencedores desta edição centraram a sua pesquisa na potencial utilização dos resultados na área oncológica.

O Prémio de Investigação Básica será atribuído a um projeto de Sérgio Fernandes Almeida e Carmo Fonseca, do Instituto de Medicina Molecular, que se debruçou sobre alterações em mecanismos que "estão na origem de inúmeras doenças, sendo o cancro uma das que tem concentrado maior atenção por parte dos investigadores", segundo informação.

Elsa Logarinho e Helder Maiato, do Instituto de Biologia Molecular e Celular da Universidade do Porto, venceram o prémio com um projeto sobre um novo mecanismo molecular.

Este mecanismo pode vir a ser explorado na terapia do cancro, que se caracteriza pela divisão descontrolada das células, informam os organizadores do Prémio.

Na investigação clínica, o prémio vai para João Barata, do Instituto de Medicina Molecular, que se debruçou sobre a leucemia linfoblástica aguda de células T, que é um cancro do sangue especialmente frequente em crianças.

Este estudo identificou um conjunto de mutações até agora desconhecido - presentes em cerca de nove por cento dos doentes com leucemia estudados -- e mostrou que estas mutações podem estar na origem do mesmo tipo de tumores.

A investigação identificou não só mutações num gene essencial do sistema imunitário, e que estão associadas ao desenvolvimento de leucemia infantil, como também "aponta potenciais aplicações terapêuticas futuras resultantes desta descoberta".

Este ano foram submetidos um total de 93 projetos de investigação, 54 dos quais na categoria de investigação básica e 39 na área de investigação clínica.

Instituídos em 1955, os Prémios de Investigação Pfizer são uma iniciativa desenvolvida em conjunto com a Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa.

O seu principal objetivo é contribuir para a dinamização da investigação em ciências da saúde em Portugal.

Tópicos:

Biologia Molecular, Elsa Logarinho Helder, Instituídos, Pfizer,

A informação mais vista

+ Em Foco

A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

O economista guineense Carlos Lopes, em entrevista à RTP, considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.