Assis (PS) disponível para discutir "absolutamente tudo" do passado mas pede discussão séria sobre futuro

| Política

O cabeça de lista do PS às eleições europeias de maio, Francisco Assis, mostrou-se hoje disponível para debater com Paulo Rangel (PSD/CDS-PP) "absolutamente tudo" do passado recente, mas reclamou uma discussão séria sobre o presente e futuro.

"Paulo Rangel parece ter uma obsessão com o passado recente. Se quiser, em local e hora a determinar, estou disponível para uma discussão de natureza mais histórica para discutir o passado. E a seguir concentremo-nos no fundamental: vamos discutir face a face o presente e o futuro da Europa e de Portugal", disse o cabeça de lista socialista em declarações aos jornalistas no parlamento.

Assis falava depois de o cabeça de lista do PSD e CDS-PP ao sufrágio europeu ter considerado esta manhã que existe uma contradição entre António José Seguro e Francisco Assis na defesa da herança dos governos socialistas liderados por José Sócrates.

Paulo Rangel, diz Francisco Assis, "partiu para esta campanha eleitoral procurando falsificar a história recente do nosso país e vendendo uma descrição da realidade do que se passou nos últimos anos".

"É mais fácil tentar enganar as pessoas acerca do passado do que acerca do presente", notou o deputado do PS.

Tópicos:

Rangel,

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.