"Mentira" da viragem durou "tanto como manteiga em nariz de cão" - Líder PCP

| Política

O secretário-geral do PCP acusou hoje o Governo de, em vésperas das autárquicas, "ensaiar uma manobra" de que o país estava "num momento de viragem", mas a "mentira durou tanto com manteiga em nariz de cão".

"Com a aproximação das eleições autárquicas, começaram a ensaiar uma manobra que era, no fundo, dizer que íamos entrar num momento de viragem, começaram a falar dos sinais positivos que havia em relação ao emprego, ao Produto Interno Bruto (PIB)", lembrou Jerónimo de Sousa.

Segundo o líder do PCP, bastaram "umas décimas de crescimento conjuntural desse PIB" ou que "o desemprego deixasse de cair tanto como estava a cair" para dizerem "aí está a viragem".

"Esta mentira durou tanto como manteiga em nariz de cão", contrapôs, afirmando que a realidade é "um despedimento massivo de professores, de pessoal docente e não docente, que hoje se estão a dirigir aos centros de emprego".

Jerónimo de Sousa, que discursava em Évora, aludiu também ao número de desempregados inscritos nos centros de emprego em agosto, que aumentou 3,2% face ao período homólogo do ano passado e 1% em relação a julho.

"O desemprego continua a aumentar, tanto em relação ao período homólogo do ano passado, como em relação ao mês de julho", disse o líder comunista, a propósito dos números divulgados hoje pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional.

Dados que, segundo Jerónimo de Sousa, servem para verificar que, "afinal, essa viragem, esse sinal animador, não passava de conversa fiada" por parte do Governo.

O secretário-geral do PCP discursava num jantar de apoio à candidatura da CDU à câmara municipal daquele concelho alentejano nas autárquicas do próximo dia 29, cuja lista é liderada por Carlos Pinto de Sá.

A proposta de lei do Governo para a convergência de pensões entre o setor público e o setor privado, entregue na sexta-feira no Parlamento, "pela calada do fim de semana", voltou a merecer críticas de Jerónimo de Sousa, tal como hoje à tarde, em Montemor-o-Novo.

O líder do PCP lembrou a "fita de Paulo Portas", quando este "dizia que era irrevogável a sua saída do Governo", precisamente porque "o corte nas reformas e pensões era a linha vermelha que ele não podia passar".

Ora, ironizou, Paulo Portas "não só passou, como engoliu" esse limite, sendo agora "responsável também por esta proposta de lei apresentada na Assembleia da República".

Os socialistas também não escaparam às "baterias" do líder comunista, que defendeu que, "ao contrário do PS", que já disse que vai "votar contra e apresentar um requerimento ao Tribunal Constitucional" relativamente ao diploma, o que há a fazer é "não esperar pela decisão do TC", mas sim "lutar agora contra essa medida".

Jerónimo de Sousa realçou ainda a importância de combater a abstenção nestas eleições e defendeu que o eleitorado deve "penalizar quem roubou as freguesias ao povo", a propósito da reorganização administrativa do território implementada pelo Governo, mas da qual o PS "é cúmplice".

Além de Carlos Pinto de Sá pela CDU, os outros candidatos à Câmara de Évora nestas eleições autárquicas são o presidente do município, Manuel Melgão (PS), Paulo Jaleco (PSD/CDS-PP) e Maria Helena Figueiredo (BE).

Tópicos:

Câa, Figueiredo, Jaleco, Melgão,

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.