Seguro aponta situação intolerável e exige eleições

| Política
Seguro aponta situação intolerável e exige eleições

A ver: Seguro aponta situação intolerável e exige eleições

O líder do PS e da oposição considera "surpreendente" que o primeiro-ministro não se tenha demitido, defendendo que o país chegou a uma situação politicamente "intolerável" e que é preciso "devolver a palavra aos portugueses" através de eleições legislativas.

António José Seguro considera que o Governo "chegou ao fim" e que assumirá as suas próprias responsabilidades para "oferecer soluções" e "mobilizar os portugueses de uma forma realista".

As posições do líder socialista foram comunicadas numa conferência de imprensa na sede do PS, depois de Pedro Passos Coelho ter anunciado ao país que não se demitirá do cargo de primeiro-ministro na sequência da demissão de Paulo Portas do cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros.

Seguro defendeu que neste contexto os líderes políticos devem assumir as suas responsabilidades e que "em democracia há sempre soluções".

Aludindo já a um cenário de eleições legislativas, o secretário-geral do PS manifestou o desejo de que haja "um debate informado, esclarecedor" e que todos utilizem "o período que deve anteceder a escolha de um futuro governo para mobilizar os portugueses de uma forma realista".

"É possível equilibrar as contas públicas de outra forma, é possível sairmos desta crise política, mas para isso a primeira condição é termos outro governo", advogou.

A informação mais vista

+ Em Foco

A agência das Nações Unidas para os refugiados calcula que desde o inicio de 2016 já tenham desembarcado na Ilha de Lesbos 40 mil pessoas.

Respostas para compreender o que se está a passar com o actual surto do vírus zika no Brasil e restantes países do Continente Americano.

A Antena1 e o site da RTP visitam Melo, no concelho de Gouveia. Reportagem multimédia, entrevistas com especialistas e as palavras de Vergílio Ferreira nos arquivos da Antena 1 e da RTP.

    A 9 de Março de 2016 completam-se 100 anos sobre o início da beligerância portuguesa. Uma data que a RTP começa desde já a assinalar.