Seguro defende austeridade inteligente e pergunta por que não se mexe no memorando

| Política

O secretário-geral do PS defendeu hoje a aplicação de uma "austeridade inteligente" que evite a recessão e perguntou "por que razão não se mexe no memorando" dando mais tempo a Portugal para consolidar as suas contas públicas.

Questionado se, em seu entender, o Banco Central Europeu, a Comissão Europeia e o Fundo Monetário Internacional aceitariam esse acréscimo de tempo, António José Seguro respondeu que insistiu recentemente junto da `troika` nesse sentido, invocando a alteração de "condições objetivas" aos níveis nacional e europeu.

"Eu pergunto: por que razão é que não se mexe no memorando? Por que razão é que não temos mais um ano, no mínimo? Caso contrário, nós podemos correr o risco de cumprir tudo o que está no memorando, mas de isso significar vida pior para os portugueses e mais dificuldade para as nossas empresas. É isso que neste momento está a acontecer", acrescentou.

A informação mais vista

+ Em Foco

É até hoje a mais icónica das aventuras da exploração espacial. Há 50 anos, o Homem chegava à Lua à boleia da NASA. Percorrermos aqui todos os detalhes da missão, dia a dia.

    O programa Artemis, da NASA, tem como objetivo regressar ao satélite natural da Terra e, simultaneamente, preparar a viagem a Marte.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.