Lisboa tem mais 90 camas de cuidados continuados integrados

| País

A região de Lisboa e Vale do Tejo tem, desde hoje, mais 90 camas de cuidados continuados integrados, em Alenquer e no Montijo, que facilitam a gestão de vagas para doentes agudos nos hospitais, anunciou a Administração Regional de Saúde.

Com estas novas camas, a região de Lisboa e Vale do Tejo passa a dispor de 1.414 camas em unidades de internamento para a prestação de cuidados continuados integrados.

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT) anunciou hoje a celebração de contratos com a Unidade de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) Quinta da Relva, em Olhalvo, Alenquer, a UCCI Saúde Sénior (AGMR Investimentos) no Montijo, e a UCCI São Rafael, da Santa Casa da Misericórdia do Montijo.

Neste último caso, a obra foi financiada com 750.000 euros de investimento público.

Segundo a ARS-LVT, estas camas vão contribuir para a gestão das altas dos hospitais de doentes agudos, "permitindo uma utilização dessas vagas para outro tipo de doentes".

Por outro lado, pretendem ainda "promover a reabilitação, estabilização clínica e promoção da autonomia e independência dos utentes"e garantir cuidados que "previnam e retardem o agravamento da situação de dependência, favorecendo o conforto e a qualidade de vida", refere a ARS em comunicado.

 

 

Tópicos:

Misericórdia, Relva Olhalvo Alenquer UCCI Sénior AGMR,

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.