Rui Caçador chama estreante Stanislas Oliveira para Toulon

| Seleção Nacional

Stanislas Oliveira, dos franceses do Sedan
|

O seleccionador português de futebol de sub-21, Rui Caçador, convocou hoje o estreante Stanislas Oliveira, dos franceses do Sedan, para o Torneio Internacional de Toulon, que vai ser disputado entre 03 e 12 de Junho. 
 

Segundo o sítio na Internet da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o técnico chamou ainda o médio Paulo Regula (Vitória de Setúbal), que nunca vestiu a camisola das "quinas", o avançado Rabiola (FC Porto) e o defesa Tengarrinha (Estrela da Amadora), sem internacionalizações nos "esperanças".
 
Com quatro jogadores convocados (Rui Patrício, Daniel Carriço, Pereirinha e Adrien Silva), o Sporting é o clube mais representado na equipa das "quinas".
 
A selecção lusa vai concentrar-se terça-feira (26 de Maio), numa unidade hoteleira de Oeiras, permanecendo em estágio, em Lisboa, até 31 de Maio. A viagem para França está programada para o dia seguinte. 
 
No Grupo B da 37.ª edição do Torneio de Toulon, Portugal defronta as congéneres do Chile (04 de Junho), França (06), em Toulon, e Qatar (08), em Saint-Cyr. 
 
 
    Lista dos 20 convocados: 
 
    - Guarda-redes: Ventura (FC Porto) e Rui Patrício (Sporting). 
 
    - Defesas: Ruben Lima (Desportivo das Aves), Igor Pita (Nacional), André Pinto (Santa Clara), Tengarrinha (Estrela da Amadora), Bura (Sporting da Covilhã), Miguel Vítor (Benfica) e Daniel Carriço (Sporting). 
 
    - Médios: Paulo Regula (Vitória de Setúbal), João Aurélio (Nacional), Stanislas Oliveira (Sedan, Fra), Castro (Olhanense) e Pereirinha e Adrien Silva (Sporting). 
 
    - Avançados: Rabiola (FC Porto), Ukra (Olhanense) e Yazalde, Candeias e Fábio Coentrão (Rio Ave). 
 

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Um dos mais conceituados politólogos sul-coreanos revelou à RTP o modo de pensar e agir de Pyongyang.

    Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.