A Minha Tese

Olga Afonso (Doutoranda em Biomedicina - Faculdade de Medicina da Universidade do Porto) | 05 Fev, 2016 | Episódio 5

Partilhar este episódio
Posi�ao Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - A Minha Tese

A Minha Tese

Olga Afonso (Doutoranda em Biomedicina - Faculdade de Medicina da Universidade do Porto) | 05 Fev, 2016 | Episódio 5

Neste episódio, apresentamos a Doutoranda Olga Afonso e o seu percurso. Contamos com o testemunho do Investigador do IBMC, Jorge Ferreira.
Licenciou-se em Bioquímica na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e é estudante do Programa Doutoral em Biomedicina da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (tese: "Mecanismos de Controlo Envolvidos na Regulação da Transição Anáfase-Telófase")
O seu nome foi incluído no grupo de dez finalistas da edição 2014 do ASCB Kaluza Prize, galardão atribuído pela ASCB e pela Beckman Coulter Life Sciences (empresa líder mundial na produção de instrumentos laboratoriais) para distinguir os melhores estudantes de Doutoramento de todo o mundo no campo da biologia celular e das ciências biológicas básicas.
Neste episódio, a Dra. Olga Afonso, com recurso ao laboratório do IBMC, explica-nos a sua investigação, que consiste no estudo de mecanismos de controlo envolvidos na regulação da transição anáfase-telófase, e demonstra-nos o processo de trabalho que levou a descobertas inovadoras nesta área.
A mitose é o processo biológico através do qual uma célula-mãe dá origem a duas células-filhas. Para que a mitose seja bem-sucedida, as células-filhas originadas no final do processo, devem ter um conteúdo genético idêntico entre si e à célula-mãe, permitindo a propagação da informação genética ao longo de sucessivas divisões.

O objetivo de estudo da tese de doutoramento é compreender como a segregação dos cromossomas em anáfase, fase da mitose em que ocorre a separação física dos cromossomas, é corretamente coordenada com a sua descondensação e com a reformação do invólucro nuclear, um indicador do fim de mitose. Na verdade, até ao momento, conseguiram identificar um novo mecanismo de controlo, conservado entre os eucariotas, que atrasa a descondensação dos cromossomas e a reformação do invólucro nuclear em resposta a uma separação incompleta dos cromossomas. Desta forma, a célula assegura que só termina a mitose depois de ter afastado e segregado corretamente todos os cromossomas.
Este mecanismo torna-se importante, pois na sua falta, ou no caso de não ser totalmente operacional, pode gerar pequenos erros na transmissão do DNA da células-mães para as células-filhas. Estes erros podem levar a alterações genéticas, que no caso de serem favoráveis, poderão conferir às novas células novas propriedades tais como, divisão ou um metabolismo descontrolado, características de muitos cancros.
Série de 13 episódios dedicada a teses de doutoramento feitas em Portugal e por portugueses no estrangeiro.