Fuga da Arte

O Homem Aproximativo. Logo se percebeu que Erik Satie era o nosso agente no Cabaré Voltaire, de Zurique. Escrevendo em Forma de Grafonola ou compondo em Forma de Pera, a sua luz banhou os domínios insondáveis do dadaísmo. | 30 Jul, 2017

Partilhar este episódio
Posi�ao Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - Fuga da Arte

Fuga da Arte

O Homem Aproximativo. Logo se percebeu que Erik Satie era o nosso agente no Cabaré Voltaire, de Zurique. Escrevendo em Forma de Grafonola ou compondo em Forma de Pera, a sua luz banhou os domínios insondáveis do dadaísmo. | 30 Jul, 2017

A natureza ficcional, entre o desejo poético e a discreta vocação iconoclasta, que fará do prazer da interrogação a sua lei e do vício da resposta o seu tabu. O espírito do ouvinte terá a última palavra.