Posição Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - O Sábio

O Sábio

Episódio 11

Jorge recupera do choque da notícia e, num discurso otimista, explica a Pedro que se podem operar aneurismas. No entanto, Pedro mostra-se conformado e diz-lhe que o seu caso não se resolve com cirurgia. O Sábio explica que voltou apenas para se reconciliar com a Sofia. Mas Jorge não está convencido do diagnóstico e quer que o amigo seja visto por um especialista de topo em Lisboa.
Luís conta a Rogério que se encantou por Sofia, mas que ela nunca lhe deu motivos para crer que é correspondido. Rogério aconselha o amigo a declarar-se a Sofia. Luís conta que a foi visitar para lhe dar apoio pela morte do Jacinto, mas fica atrapalhado. Rogério incentiva o amigo a não pensar muito e a arriscar.
Rita fala aos seus pais que vai com a Sofia ao velório. Manuela tenta convencer Romão a acompanha-las, até porque não lhe agrada nada a possibilidade de Pedro se aproximar de Sofia neste momento de vulnerabilidade. Adelaide põe a hipótese de a morte do velhote não ter sido natural. Cândida sabendo que jacinto tomava as pilulas vendidas por Manuela disfarça e leva-a para o quarto.
Sofia comenta com Dulce o seu desagrado por Ricardo ter partilhado nas redes sociais uma fotografia dos dois a darem um beijo. Dulce põe a hipótese de ela não estar confortável com a reconciliação, mas Sofia muda de assunto e pede à amiga para não a deixar sozinha no velório, pois quer evitar a aproximação de seu pai.
Domingos faz resistência a executar uma tarefa que o comandante lhe ordenou, e que foi lavar o autotanque. Domingos tenta passar essa tarefa para Arnaldo, mas Evelina não está de acordo. Chega o comandante Raul que deixa uma sandes em cima do banco e esta rapidamente desaparece. Desagradado, chama a atenção a Evelina, mas ela nega tê-la comido, até que se apercebem que foi Michelle. O Comandante Raul dá sinais de estar saturado da porca.
Júlia segue atentamente o encontro de Rogério e Telmo, e o seu olhar é de reprovação. Telmo comenta com Rogério que não têm sido fáceis os últimos tempos, pois desde que se assumiu homossexual, que muitos amigos lhe viraram as costas. Telmo comenta que ao menos o trabalho corre-lhe bem, e está agradecido pela oportunidade de lhe foi dada por Manuela. Rogério alerta-o para a falta de carácter de Manuela, e chama-lhe mesmo aldrabona.
Ricardo conta a Manuela que Sofia e o Pedro não tiveram qualquer contacto no velório. Manuela conta-lhe que Jacinto tomava as cápsulas Vitalonga. Ricardo fica assustado porque as cápsulas não podiam ser tomadas por cardíacos. Manuela pede-lhe que suspenda a produção das cápsulas e relembra-o que a ideia de acrescentar a substância que é nociva par os cardíacos foi dele. Ricardo comenta que se Sofia sabe que ele usa o laboratório da farmácia para esta finalidade acaba com ele.
Cremilde e António prestam as condolências a Sofia. Com a chegada de Pedro e Jorge, o ambiente fica tenso. Jorge decide sentar-se em outra mesa, mas Pedro dirige-se a Sofia, que não se mostra disponível para conversar com ele. Pedro Homem acabou de regressar à cidade onde nasceu e onde passou a maior parte da sua vida (Montemor-o-Novo). Mas de onde desapareceu sem deixar rasto e esteve misteriosamente ausente durante 20 anos.
As razões do seu desaparecimento foram sempre alvo de especulação. Pedro era uma figura popular na cidade, conhecido por fazer as pessoas olharem para a vida por outra perspetiva - e com isso gerou milagres que sempre recusou serem da sua responsabilidade. Na verdade, Pedro tem um dom inexplicável: por vezes vê o futuro. Mas as visões do futuro podem ser simultaneamente uma bênção e uma armadilha. Pedro é, aliás, o exemplo disso: quando ainda jovem, vê a sua namorada, Carmen, vestida de noiva num caixão, com um anel de noivado que perceciona ter sido dado por ele. Como se o destino o avisasse que nunca poderiam viver juntos, talvez por sentirem um amor maior que o mundo.
Pedro acaba por se envolver, já jovem adulto, com Manuela, e tem uma filha com ela. Mas vive então momentos tempestuosos e recebe uma séria ameaça de morte. Para sobreviver, tem de abandonar Montemor - perdendo o contacto com a filha de 5 anos, Sofia. Parte sem dizer nada a ninguém porque não conseguiria explicar uma outra visão que marca a sua vida: o coração dele e da filha estão ligados por um laço especial do destino. Se aquela ameaça de morte se cumprisse e ele morresse, a sua filha morreria também.
Porque voltou Pedro agora? Pela filha? Por Carmen? Por ele próprio?
Montemor-o-Novo está diferente, nestes 20 anos muita coisa mudou. Manuela é entretanto uma taróloga famosa. Carmen explora uma quinta de produção biológica. Sofia é farmacêutica.
Mas há coisas que se mantêm: o Clube de pesca onde os velhos amigos de Pedro ainda se reúnem, o quartel de Bombeiros onde estão sempre prontos os soldados da paz mais divertidos do país e a influência subterrânea e maliciosa de Cândida, a chamada ?bruxa do Alentejo? e mãe de Manuela.
O Sábio é uma estória passada numa cidade antiga e sábia, grande o suficiente para guardar muitos segredos que vão agora ser revelados.