O Sábio

15 Fev, 2017 | Episódio 32

Partilhar este episódio
Posi�ao Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - O Sábio

O Sábio

15 Fev, 2017 | Epis�dio 32

Jorge acaba de auscultar Carmen e pede-lhe que no dia seguinte vá ao hospital fazer uma radiografia. Carmen comenta com Felícia, a propósito dos estragos feitos pelo temporal, que em vez de pensar no que o seu falecido marido faria no seu lugar, só pensa em Pedro.

Pedro conta a Jorge que foi difícil estar com Carmen, voltou a sentir uma paixão incontrolável e sabe que não pode viver esse amor. Jorge aconselha o amigo a não deixar escapá-la desta vez.

Carmen está novamente a arder em febre e Valentim leva-a ao hospital.

Sofia não encontra o telemóvel e pede a Dulce que lhe ligue, e acaba por ser Rita quem atende o telemóvel, que ficou esquecido em casa de Manuela. Rita combina entregar-lhe o telemóvel na farmácia.
O telemóvel de Sofia volta a tocar, Manuela repara no nome de Luís no visor, e resolve atender a chamada. Manuela diz-lhe que deve deixar a Sofia em paz e que não vai contar com o seu apoio nesta relação. Luís não se deixa intimidar, pede-lhe que deixe a sua mãe em paz e diz-lhe que a decisão de ficarem juntos, só depende deles os dois.

Gil vai à farmácia buscar medicamentos para a pecuária, e em conversa com Ricardo aconselha-o a fazer uma nova abordagem a Sofia. Gil fala-lhe num sítio romântico em Évora, mas Ricardo prefere aguardar pela influência que Manuela vai ter na filha.

Adelaide e Manuela voltam a discutir. Manuela avisa-a de que não pode voltar a colocar as suas filhas contra ela. Adelaide avisa a irmã e mãe de que vai parar de tomar a medicação que lhe dão e vai marcar consulta com o Dr. Jorge para endireitar a sua vida.

Manuela recebe Cremilde no seu consultório. Quando ainda está a baralhar as cartas, já Cremilde lhe está a contar que o problema é o António não lhe prestar atenção. Manuela lança uma carta e diz-lhe que ele está a esconder um segredo e propõe-lhe que compre um produto que o irá tornar romântico e apaixonado.

António está sozinho no clube quando chega João, que se dirige à zona de jogos, mas o pai chama-lhe a atenção que precisa dele ao balcão. João comenta que já sabe o quer fazer profissionalmente, pretende ser relações públicas e empresário da noite. António fica desapontado pela sua escolha e diz-lhe, jocoso, que não vai pagar as propinas para esse curso.

Rita vai à farmácia e conta à irmã que pretende ir jantar com o João nessa noite, Sofia aconselha-a a não fazer pedidos à mãe nesta altura, mas Rita confessa que não tem vontade de lhe fazer as vontades. Rita diz ainda que irá mesmo sem lhe pedir, o que deixa Sofia muito preocupada.

Raul e Alzira estão a navegar no novo site. Raul relembra Alzira do concurso da melhor sericaia, para que ela não se deixe vencer e comenta com Alzira que o Comandante Valentim já foi mais admirado pela corporação do que na atualidade.

Carmen regressa do hospital e confirma-se que está com gripe. Luís vai pedir a Sofia que lhe traga os medicamentos que o médico prescreveu, e comenta com a mãe que recebeu um postal da polícia a perguntar se ele quer fazer queixa dos agressores. Luís pretende fazer, mas Carmen pede-lhe que não o faça, para evitar problemas.

Jorge vai contar a Pedro que já tem o resultado da análise aos comprimidos e que contêm efedrina. O médico está furioso com a situação e já fez queixa à entidade responsável. Pedro confessa que não vai esperar pela atuação das autoridades e sai de casa esbaforido.

Cremilde coloca o perfume que comprou à falsa vidente e insinua-se a António, mas o marido vai respondendo às suas questões banais com alguma estranheza, longe de obter o efeito pretendido. Cremilde desiste frustrada.

Rogério conta a Carmen que estiveram na herdade uns tipos da companhia de eletricidade a verem as condições do terreno para a instalação de postes de alta voltagem. Carmen insurge-se por não lhe terem pedido autorização e promete que irá ligar a pedir satisfações à companhia. Pedro Homem acabou de regressar à cidade onde nasceu e onde passou a maior parte da sua vida (Montemor-o-Novo). Mas de onde desapareceu sem deixar rasto e esteve misteriosamente ausente durante 20 anos.
As razões do seu desaparecimento foram sempre alvo de especulação. Pedro era uma figura popular na cidade, conhecido por fazer as pessoas olharem para a vida por outra perspetiva - e com isso gerou milagres que sempre recusou serem da sua responsabilidade. Na verdade, Pedro tem um dom inexplicável: por vezes vê o futuro. Mas as visões do futuro podem ser simultaneamente uma bênção e uma armadilha. Pedro é, aliás, o exemplo disso: quando ainda jovem, vê a sua namorada, Carmen, vestida de noiva num caixão, com um anel de noivado que perceciona ter sido dado por ele. Como se o destino o avisasse que nunca poderiam viver juntos, talvez por sentirem um amor maior que o mundo.
Pedro acaba por se envolver, já jovem adulto, com Manuela, e tem uma filha com ela. Mas vive então momentos tempestuosos e recebe uma séria ameaça de morte. Para sobreviver, tem de abandonar Montemor - perdendo o contacto com a filha de 5 anos, Sofia. Parte sem dizer nada a ninguém porque não conseguiria explicar uma outra visão que marca a sua vida: o coração dele e da filha estão ligados por um laço especial do destino. Se aquela ameaça de morte se cumprisse e ele morresse, a sua filha morreria também.
Porque voltou Pedro agora? Pela filha? Por Carmen? Por ele próprio?
Montemor-o-Novo está diferente, nestes 20 anos muita coisa mudou. Manuela é entretanto uma taróloga famosa. Carmen explora uma quinta de produção biológica. Sofia é farmacêutica.
Mas há coisas que se mantêm: o Clube de pesca onde os velhos amigos de Pedro ainda se reúnem, o quartel de Bombeiros onde estão sempre prontos os soldados da paz mais divertidos do país e a influência subterrânea e maliciosa de Cândida, a chamada ?bruxa do Alentejo? e mãe de Manuela.
O Sábio é uma estória passada numa cidade antiga e sábia, grande o suficiente para guardar muitos segredos que vão agora ser revelados.