O Sábio

09 Nov, 2017 | Episódio 208

Partilhar este episódio
Posi�ao Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - O Sábio

O Sábio

09 Nov, 2017 | Episódio 208

Pedro entra de rompante no quartel e depara-se com Gil no chão e ensanguentado. Valentim entra e fica em choque ao ver o filho no chão e Pedro sobre ele com uma faca nas mãos. Valentim grita por socorro e surge Evelina. Valentim empurra Pedro, que se dá conta de estar com a faca nas suas mãos como se tivesse sido ele a apunhalar Gil. Valentim acusa-o, mas ele nega e explica que quando ali chegou Gil já estava no chão inanimado.
Romão chega a casa, procura manter a calma e toma uns comprimidos. Despe a roupa e guarda-a num saco com a intenção de eliminar as provas do crime. Domingos e Evelina seguem com Gil para o hospital. Valentim olha Pedro com ódio. Pedro diz-lhe que não foi ele que esfaqueou Gil. Valentim segue na ambulância com Gil, enquanto Arnaldo segue as suas ordens e não deixa Pedro sair do local até a polícia chegar. Pedro acaba de prestar o depoimento à GNR, quando surge Jorge e os dois conversam sobre a visão e o modo como aconteceu. Pedro conta-lhe que quando chegou ao local, Gil já estava deitado no chão sem sentidos. Jorge aconselha o amigo a interpretar de outra forma as suas visões, tendo em conta o que aconteceu. Sofia aparece e comenta com o pai que o consideram culpado, mas Pedro diz-lhe que quando ali chegou o Gil já estava inanimado no chão.
Pedro recebe a visita de uma inspetora da Policia Judiciária. Percebe que a sua situação é comprometedora e vê-se obrigado a contar-lhe que tem visões do futuro e por esse motivo, esteve no local do crime para o tentar evitar, mas chegou tarde de mais. A inspetora mostra-se muito desconfiada da sua versão dos acontecimentos. Pedro fica preocupado.
Romão diz a Cândida que vai tomar o pequeno-almoço fora. A sogra acusa-o de ter sido ele a matar Gil, mas conta-lhe que não conseguiu. Romão fica agitado, mas disfarça e fica a saber que Gil disse que não viu quem tinha sido. Nos bombeiros comentam o que se passou com Gil e chegam mesmo a pôr a hipótese de haver um assassino em série em Montemor. Evelina termina com os disparates e diz-lhes que tem a certeza de que não foi o Pedro Homem. Valentim vai à oficina de Pedro. Num ambiente tenso, Pedro explica-lhe que teve uma visão e foi isso que o levou a ir tentar evitar o sucedido, mas Valentim diz-lhe que não acredita nas suas palavras, mas sim na justiça. Rogério invade o quarto de Carmen e mexe nas suas coisas. Encontra um par de brincos de esmeraldas e arruma tudo conforme estava. Rogério é apanhado na zona dos quartos por Felícia e ele mente dizendo estar à procura de Luís. Felícia convida-o para almoçar com ela, mas ele diz-lhe que tem planos com Sandra. Felícia diz-lhe que ele devia dar muito valor à namorada. Sofia e André estão a almoçar, Madalena chega e senta-se em frente à mesa deles de maneira a ser vista por ele. Sofia levanta-se para ir à casa de banho e Madalena aproveita para pressionar André.
Pedro Homem acabou de regressar à cidade onde nasceu e onde passou a maior parte da sua vida (Montemor-o-Novo). Mas de onde desapareceu sem deixar rasto e esteve misteriosamente ausente durante 20 anos.
As razões do seu desaparecimento foram sempre alvo de especulação. Pedro era uma figura popular na cidade, conhecido por fazer as pessoas olharem para a vida por outra perspetiva - e com isso gerou milagres que sempre recusou serem da sua responsabilidade. Na verdade, Pedro tem um dom inexplicável: por vezes vê o futuro. Mas as visões do futuro podem ser simultaneamente uma bênção e uma armadilha. Pedro é, aliás, o exemplo disso: quando ainda jovem, vê a sua namorada, Carmen, vestida de noiva num caixão, com um anel de noivado que perceciona ter sido dado por ele. Como se o destino o avisasse que nunca poderiam viver juntos, talvez por sentirem um amor maior que o mundo.
Pedro acaba por se envolver, já jovem adulto, com Manuela, e tem uma filha com ela. Mas vive então momentos tempestuosos e recebe uma séria ameaça de morte. Para sobreviver, tem de abandonar Montemor - perdendo o contacto com a filha de 5 anos, Sofia. Parte sem dizer nada a ninguém porque não conseguiria explicar uma outra visão que marca a sua vida: o coração dele e da filha estão ligados por um laço especial do destino. Se aquela ameaça de morte se cumprisse e ele morresse, a sua filha morreria também.
Porque voltou Pedro agora? Pela filha? Por Carmen? Por ele próprio?
Montemor-o-Novo está diferente, nestes 20 anos muita coisa mudou. Manuela é entretanto uma taróloga famosa. Carmen explora uma quinta de produção biológica. Sofia é farmacêutica.
Mas há coisas que se mantêm: o Clube de pesca onde os velhos amigos de Pedro ainda se reúnem, o quartel de Bombeiros onde estão sempre prontos os soldados da paz mais divertidos do país e a influência subterrânea e maliciosa de Cândida, a chamada ?bruxa do Alentejo? e mãe de Manuela.
O Sábio é uma estória passada numa cidade antiga e sábia, grande o suficiente para guardar muitos segredos que vão agora ser revelados.