Play - Ministério do Tempo

Um Vírus do Outro Tempo (1918/2016)

ep. 13 51m

Séries Nacionais

10AP

Lisboa, 1918. Irene está numa missão muito simples. Impedir que Beatriz Costa, ainda criança, perca a sua voz. É bem-sucedida. Mas uma perigosa epidemia assola Portugal nesse ano. São milhares os infetados. E os mortos. E Irene percebe, ainda antes de voltar a 2016, que está infetada. O mais provável é morrer sem poder voltar ao presente.
Em 2016, Susana não se conforma ao receber a notícia de que a sua namorada está presa em 1918, durante a mais mortífera epidemia do século XX. Contrariando os conselhos de todos os que a rodeiam, ordena que Irene seja trazida para o século XXI. Mesmo que ao fazê-lo esteja a correr o risco de infetar o mundo moderno com um perigoso vírus para o qual nunca se encontrou cura.
Irene é trazida para o presente. Os médicos do Ministério do Tempo confirmam rapidamente a doença. Trata-se da gripe espanhola. A mesma que no fim da segunda década do século XX foi responsável por mais mortes do que a primeira guerra mundial.
Apesar dos esforços de Susana e da equipa médica, Irene não melhora... E a infeção espalha-se pelo Ministério do Tempo. É decretada uma quarentena. E o numero de doentes começa a aumentar exponencialmente.
Nuno Gonçalves fica doente. Assim como Camões e Afonso. Os três ficam à beira da morte.
Susana apenas consegue pensar em Irene. Ernesto não lhe perdoa. Secretamente, informa Salvador do que se está a passar.
Entretanto, Pacino descobre que o médico do Ministério do Tempo está a aproveitar a vinda do vírus para o século XX de uma forma terrível.
Amélia tenta ajudar os doentes.
Assim como Maria dos Prazeres, que pouco pode fazer enquanto vê as pessoas de quem gosta, agonizar.
Tal como no passado, a gripe espanhola vai causar vítimas no século XXI. Afonso, Irene, Pessoa e outros funcionários do Ministério que estão doentes sabem que a taxa de mortalidade é grande... E que mesmo nos dias de hoje, não há cura conhecida.

duração total 51m
posição atual:
ir para o minuto: