Ouvir
Disco da Semana
Em Direto
Disco da Semana

Ministro das Obras Públicas de São Tomé e Príncipe exonerado

Osvaldo Abreu afastado em decreto presidencial que não aponta os motivos. Ministério do Comércio passa a ter Turismo em primeiro lugar

Ex-Ministro Osvaldo Abreu

Foi demitido o ministro das Obras Públicas, Infraestruturas, Recursos Naturais e Meio Ambiente de São Tomé e Príncipe.

O decreto presidencial que exonera Osvaldo Abreu foi tornado público na noite de segunda-feira, sem apontar os motivos, mas surge horas depois da imprensa digital do arquipélago ter revelado o envolvimento do governante numa empresa que viola a Lei Quadro das Receitas do Petróleo. Osvaldo Abreu, que completou um ano de mandato a 11 de dezembro, foi substituído por Fernando da Silva Maquengo de Freitas, que até aqui exercia as funções de diretor-geral da Agencia Nacional de Petróleo.

No mesmo decreto, é anunciada a mudança do nome de um ministério. O ministério do Comércio, Indústria e Turismo passa a chamar-se ministério do Turismo, Comércio e Indústria, mantendo-se Demóstenes Pires dos Santos como titular da pasta. O decreto presidencial nomeia também José Maria Amado da Fonseca para o cargo de secretário de Estado das Infraestruturas e Meio Ambiente e Maria Tomé d'Araújo para o cargo de ministra da Saúde e Assuntos Sociais, pasta deixada vaga há um mês por Leonel Pontes, demitido por suspeita de envolvimento num escândalo financeiro. 

Na sequência do caso da demissão do ministro Osvaldo Abreu e de outros três altos funcionários do estado santomense, o jornal digital Téla Nón trouxe a público outro caso. Desta vez, trata-se da constituição de uma sociedade privada com o envolvimento de dois membros do anterior governo, chefiado por Patrice Trovoada. Segundo o Tela Nón, foi também de um ato de promiscuidade entre os sectores público e privado.

Oiça as reportagens de Óscar Medeiros – correspondente da RDP África em S. Tomé.