As Duas Faces da Guerra - Parte 2
"Não lutamos contra o povo português, mas sim contra o colonialismo português". Esta frase de Amílcar Cabral irá ser claramente entendida pelos guerrilheiros do PAIGC e influenciará todo o seu comportamento.

Imagens dramáticas de uma emboscada sofrida por uma coluna portuguesa na Guiné, com vários feridos e mortes, é comentada, de forma comovida, por dois soldados que viveram os acontecimentos e que se revêem nas imagens. Outros intervenientes, quer portugueses quer da Guiné, relatam o que ali se passou.

"A Guiné para os Guinéus", esta frase do general Spínola reflecte uma nova forma de fazer a guerra. A africanização da guerra e a criação de unidades militares de africanos passa a ser uma realidade em crescente desenvolvimento. Os problemas e as características destas forças são descritas por alguns dos seus responsáveis de então.

A africanização das Forças Armadas vai ter consequências para lá do fim da guerra. O processo de independência, ocorrido num contexto complexo e difícil, vai trazer graves consequências para os antigos combatentes africanos do Exército Português.

Em 1973 o PAIGC recebe os novos mísseis Strella o que permitiu o abate de aeronaves da Força Aérea Portuguesa, que se vê obrigada a grandes restrições de operação. O domínio do ar que era quase absoluto passa a estar comprometido.

O PAIGC lança em Maio de 1973 uma grande operação que se iniciou com um ataque a Guidaje, junto da fronteira com o Senegal, seguindo-se o ataque a Guileje na fronteira Sul. A debilidade resultante das restrições de actuação da Força Aérea permitem ataques de artilharia mais intensos e precisos o que leva à retirada do exército de Guileje.

A descrição dos acontecimentos é feita por alguns dos seus principais protagonistas.

O 25 de Abril de 1974 e o processo que se seguiu permitiu constatar que os militares portugueses e os guerrilheiros do PAIGC, apesar dos 11 anos de guerra, não guardavam ódios, e que a Guerra Colonial teve importância decisiva na formação da consciência dos militares que estiveram na origem da Revolução em Portugal.


Os comentários aos diferentes Documentários foram efectuados em colaboração com a Associação 25 de Abril, e são da responsabilidade de:
Coronel de Infantaria - José Aparício
Coronel de Artilharia – Eduardo Abreu
Coronel Piloto aviador – Villalobos Filipe
Capitão-de-mar-e-guerra – Pedro Lauret
  • VIDEOS ACTUAIS
  • VÍDEOS DA ÉPOCA
  • TÍTULOS
RTPA25