Comunidades

TERMINOU CORRENTES D’ESCRITAS COM CONVITE PARA A 22ª EDIÇÃO

TERMINOU CORRENTES D’ESCRITAS COM CONVITE PARA A 22ª EDIÇÃO

Pepetela recebeu o Prémio Literário Casino da Póvoa 2020 pela obra Sua Excelência, de Corpo Presente. O escritor não esteve presente, por estar a convalescer de uma cirurgia, tendo-se feito representar pela editora Cecília Andrade.

O cheque de 20 mil euros deste Prémio Literário Casino da Póvoa foi entregue pela representante do Casino da Póvoa, Josefina Delgado.

O Júri, constituído por Ana Daniela Soares, Carlos Quiroga, Isabel Pires de Lima, Paulo Mendes Coelho e Walter Hugo Mãe referiu que atribuiu o Prémio a Pepetela pela “originalidade do estratagema de narrativa eficaz para denunciar com ironia uma história de nepotismo e abuso de poder própria de sistemas totalitários”.

Pepetela (Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos) nasceu em Benguela, Angola, em 1941. Licenciou-se em Sociologia, em Argel, durante o exílio. Como membro do MPLA, participou ativamente na governação de Angola, após o 25 de Abril.

A partir de 1984, foi professor na Universidade Agostinho Neto, em Luanda.
A atribuição do Prémio Camões (1997) confirmou o seu lugar de destaque na literatura lusófona.

A editora de Pepetela referiu o quanto ambos se orgulham do Prémio, tendo Cecília Andrade considerado Pepetela como um dos maiores escritores em português.

O escritor enviou uma mensagem na impossibilidade de estar na cerimónia, agradecendo à organização por “persistir com teimosia no seu trabalho e por, paulatinamente, o alargar a outras geografias”.

O conto Relógios Parados de Ana Sofia Franco Trigo, que concorreu com o pseudónimo de Jieun, foi o escolhido para o Prémio Literário Correntes d’Escritas Papelaria Locus.

A jovem vencedora considerou “uma grande honra ter recebido este prémio”, aproveitando a subida ao palco para “agradecer o apoio do professor de português, que foi um grande incentivo”.

Em relação ao Prémio Conto Infantil Ilustrado Correntes d’Escritas Porto Editora, receberam os prémios os autores dos seguintes trabalhos: primeiro lugar: “Tempestade no Rio”, do 4º C, da Escola Básica de Venda do Pinheiro, Venda do Pinheiro; segundo lugar: “Os Ponteiros Apaixonados”, do 4º Q, EB 1 com PE e Creche Eng. Luís Santos Costa, Machico (Madeira); terceiro lugar: “A Mala da minha professora”, do 4º A, Colégio Paulo VI, Gondomar.

Foram ainda atribuídas as seguintes menções honrosas: Texto e Ilustração: “Há Fogo no Pinhal do Rei”, do 4º 42, EB do 1º CEB de Quinta do Alçada, Leiria; Texto: “Um Mergulho na História”, do 4º B, Colégio D. José I, Aveiro; “O Espelho do Xavier”, do 4º A, EB José Manuel Durão Barroso, Armamar; Ilustração: “Uma Aventura no concelho de Aljezur”, do 4º 2, EB1/JI de Odeceixe, Odeceixe; “Seano, Super Herói”, do 4º A, EB1/JI Pde. José Manuel Rocha e Melo, Lisboa.

A maioria dos premiados esteve presente na sessão, acompanhada dos seus professores.

Paulo Gonçalves, da Porto Editora, afirmou que estas crianças são os melhores escritores de um conjunto de mais de 2 mil alunos que participaram neste concurso. O responsável pela Porto Editora lembrou ainda que, ao longo destes 20 anos, já foram cerca de 25 a 30 mil alunos, que “ousaram escrever contos originais em equipa, impulsionados pelos professores e pelos pais”.

Álvaro Manuel Oliveira Maio, de Esposende, que concorreu com o pseudónimo de “Zé Pescadinha”, foi o vencedor do Prémio Literário Fundação Dr. Luís Rainha Correntes d’Escritas 2020, no valor de 2000 euros, com o trabalho “Ala Ala Arriba”.

Sendo poveiro, foi para Álvaro Maio ainda “mais gratificante” receber este prémio. Apreciador de Literatura há muitos anos e, especificamente, deste encontro Correntes d’Escritas, o autor sente-se agora satisfeito por integrar a galeria dos prémios deste evento. O premiado afirmou que, ao escrever este trabalho, procurou “manter vivas as memórias da Póvoa”.

A encerrar a sessão, Luís Diamantino, Vereador da Cultura e Vice-Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, convidou todos os presentes a voltarem ao Correntes d’Escritas, que se realizará de 23 a 27 de fevereiro de 2021.

Luís Diamantino agradeceu a todos pelo sucesso do evento, porque “as Correntes d’Escritas só se fazem incluindo todos os que aqui estão, escritores, críticos, jornalistas e, acima de tudo, leitores”.

Recorde este 21º Correntes d’Escritas.