Cultura

Acervo da SINAGA transferido para o Museu Carlos Machado (Vídeo)

A administração da SINAGA está a desmantelar a fábrica de açúcar, com o cuidado de preservar o seu património. Durante uma visita às instalações, o diretor do Museu Carlos Machado confirmou que grande parte do acervo já foi transferida.

A SINAGA suspendeu a laboração de beterraba em 2017, e houve logo quem defendesse a criação de um núcleo museológico naquele espaço.

Agora ficou a saber-se que grande parte do acervo museológico e arquivístico, da açucareira micaelense, já foi levado para o Museu Carlos Machado, tal como aconteceu com o espólio da Fábrica do Álcool da Lagoa, que também pertencia a SINAGA.

A transferência começou a ser preparada em 2018, mas só este ano foi dado andamento ao processo. Agora falta saber qual o destino dos equipamentos de maiores dimensões, prevendo-se que venham a constituir um núcleo museológico nos terrenos da fábrica, que se estendem por uma área de 55 mil metros quadrados.

A fábrica do açúcar de Santa Clara foi criada em 1906, até 1969 pertenceu à União das Fábricas Açorianas de Açúcar, e depois à SINAGA. Em 2010 o governo regional adquiriu a maioria do seu capital social, numa tentativa infrutífera de salvar a empresa.
A morte anunciada, daquela que chegou a ser tida como a maior empresa dos Açores, foi decretada há cerca de um mês

Telejornal