Cultura

Lavoura terceirense considera ilegais cortes impostos pela Unicol (Vídeo)

Realizou-se, no Tribunal de Angra do Heroísmo, a última sessão do julgamento que opõe a lavoura terceirense à cooperativa Unicol. Um grupo de 10 produtores de leite tenta reaver a verba retida por excesso de produção em 2018.

© Unicol

Em causa está a produção de leite de 2018, que a Unicol diz que foi em excesso e, por isso, aplicou cortes de 4,1 cêntimos por litro. A lavoura da Terceira não concorda, d iz que a decisão é ilegal e por isso recorreu aos tribunais.

José António Azevedo faz parte de um grupo de 10 produtores de leite que apresentou uma ação em tribunal, exigindo a reposição das verbas retidas pela Unicol. Pedem uma compensação financeira a rondar os 100 mil euros.

A lavoura exige que não seja a Unicol, sozinha, a impor limites à produção e, ao mesmo tempo, a definir o preço.

Esta segunda-feira realizou-se a quarta sessão do julgamento que opõe a lavoura terceirense à Unicol. A RTP-Açores contatou os responsáveis pela cooperativa, que remeteram qualquer declaração para depois da sentença.

RTP/Açores