Desporto

Moreira dedica os golos à falecida avó

 

Avançado do Santa Clara marcou três golos ao Oliveira de Frades. Festejos não foram efusivos mas marcantes pela emoção.

Moreira dedica os golos à falecida avó

Avançado fez três golos e mandou uma bola ao poste © Foto: Acácio Mateus

 

Hugo Moreira estreou-se a marcar na temporada 2010/11 com a camisola do Santa Clara e não deixou créditos por mãos alheias. O avançado que a turma açoriana contratou à Oliveirense marcou três dos quatro golos com que a equipa derrotou o Oliveira de Frades em desafio da segunda eliminatória da Taça de Portugal.

Três golos num só desafio não é algo que se consiga com frequência mas apesar deste ser um momento de felicidade para a esmagadora maioria dos avançados, Moreira foi contido nos festejos. O motivo? O falecimento da avó poucos dias antes do jogo, uma perda que o forçou a viajar para o continente para acompanhar a família num momento de dor.

De regresso aos Açores, Moreira foi titular e decisivo na vitória sobre o Oliveira de Frades. O jogador conteve a alegria dos golos mas não a emoção no momento de os dedicar à avó. «Foi uma semana difícil mas regressei com forças para ajudar e no final do jogo tudo correu bem. É um momento especial para mim porque são os primeiros golos que marco pelo Santa Clara. São importantes porque dão motivação extra e espero marcar mais no futuro», disse.

Superada a primeira eliminatória em que a equipa açoriana participou na Taça de Portugal, Moreira já definiu desejos para o sorteio da terceira onde, aquela onde já entram as equipas da I Liga. «Um bom sorteio seria jogarmos em casa com um adversário teoricamente acessível para chegarmos o mais longe possível na prova ou, então, receber um grande para motivar as pessoas a comparecerem em maior número no estádio e apoiarem-nos», apontou.

Seja qual for o desfecho do sorteio, Moreira é de opinião que o Santa Clara merece mais crédito por parte dos adeptos. «As pessoas têm de compreender que entrou muita gente nova e as coisas não acontecem de um dia para o outro. É preciso tempo para implementar processos mas estamos a crescer e vamos ficar mais fortes».

Um desabafo sentido por parte de quem gostaria de ver mais calor humano nas bancadas mas que não vira cara à luta no momento de perspectivar um futuro que acredita vir a ser melhor. A vitória para a Taça poderá ser o mote para a conquista de mais resultados positivos.

«Queremos transportar a vitória na Taça para o campeonato. Vamos encarar com mais confiança a partida com o Feirense porque vínhamos à procura de um triunfo e agora vamos dar continuidade aos bons resultados», referiu, convicto de que com o desenrolar do tempo o colectivo vai «ficar mais forte».

Acácio Mateus