Desporto

Personalidades do Praiense escrevem ao Presidente da Federação de Futebol

Algumas personalidades ligadas ao Praiense pediram hoje ao presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) para incluir o clube nas subidas à II Liga, na sequência da suspensão dos campeonatos devido à covid-19.

Personalidades do Praiense escrevem ao Presidente da Federação de Futebol


"Depois de uma época desportiva de investimento público e privado, de esforço e sacrifício e de mérito desportivo, de repente, pela aplicação de um determinado critério, o Praiense ficou afastado da possibilidade de aceder aos campeonatos profissionais de futebol", lê-se na carta a que a agência Lusa teve acesso.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou que vai indicar o Vizela e o Arouca para subirem ao segundo escalão do futebol português, alegando o "mérito desportivo", já que foram os "dois clubes com maior número de pontos".

De fora da decisão da FPF, ficou o Praiense, líder da série C, com 53 pontos.

A carta é assinada por Tiago Ormonde, antigo presidente do Praiense e vereador da Câmara Municipal da Praia da Vitória, e conta com 52 subscritores, que perfaz o número de pontos que o clube contava aquando da suspensão do Campeonato de Portugal.

Na missiva, os adeptos dizem querer contar uma "bonita história" aos seus "filhos e netos" sobre a realização de um "sonho", que inclui o Praiense na II Liga de futebol.

"Era uma vez o nosso Praiense, viviam-se tempos difíceis e atípicos, e um dia, a direção da FPF, precipitadamente, injustamente e involuntariamente, tomou uma decisão que emergiu sentimentos de tristeza e revolta na nossa Praia da Vitória", lê-se no documento.

Os redatores dizem-se "com o coração cheio de esperança" de que será possível repor a "justiça".

"Contaremos nós, mais tarde, com ponderação, humildade e reconhecimento, a FPF primou pelo exemplo, repôs a justiça, devolveu o que era nosso por direito próprio e realizou o sonho dos praienses", dizem, imaginando a subida do clube.

Entre os subscritores do documento, estão o secretário adjunto da presidência do Governo dos Açores, Berto Messias, o músico Carlos Alberto Moniz, o antigo presidente da Câmara da Praia da Vitória Carlos Virgílio da Costa Lima, o sócio número um do clube, José Silveira Rocha, entre outros antigos dirigentes políticos e desportivos açorianos.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou em 08 de abril o cancelamento dos campeonatos seniores não profissionais de futebol e futsal da época 2019/20, devido à pandemia de covid-19.

Vizela (Série A, com 60 pontos), Arouca (B, com 58), Praiense (Série C, com 53 pontos) e Olhanense (D, com 57) eram os líderes na altura do cancelamento.

O Campeonato de Portugal é composto por 72 clubes, dividido em quatro séries, cada uma com 18 equipas, sendo que os dois primeiros classificados de cada série são apurados para um 'play-off' que determina a subida de dois clubes à II Liga.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 294 mil mortos e infetou mais de 4,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,4 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.175 pessoas das 28.132 confirmadas como infetadas, e há 3.182 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.


Lusa