Economia

Conselho Económico e Social analisa anteproposta de Plano para 2022 com Governo Regional dos Açores (Vídeo)

O Conselho Económico e Social dos Açores está preocupado com o aumento do peso estrutural dos setores da Saúde, Educação e Transportes, nos sucessivos Planos e Orçamentos. A posição de Gualter Furtado, presidente deste grupo independente, converge com a dos Executivo dos Açores e da Madeira, que também defendem a necessidade de rever a atual Lei das Finanças Regionais.

Governo e Conselho Económico e Social dos Açores estiveram reunidos em Ponta Delgada para analisar a anteproposta de Plano para 2022.

Os conselheiros manifestaram preocupações com o peso estrutural de vários setores que condicionam o desempenho das finanças públicas na Região.

O sucessivo agravamento do endividamento da Região Autónoma dos Açores foi outra das situações abordadas. Gualter Furtado considera que a solução para estes desequilíbrios deve ser encontrada no âmbito de uma futura revisão da Lei de Finanças Regionais.

O presidente deste grupo independente e consultivo do Governo Regional pede mais inovação e atualização e diz que o articulado da lei relacionada com os empréstimos das Região Autónomas está desatualizado.

O Conselho Económico e Social dos Açores tem até 21 de outubro para entregar ao Governo Regional um parecer escrito sobre a anteproposta de Plano para 2022.

Telejornal