Economia

Expansão da ZEE, na base de estudo hidrográfico

Navio hidrográfico português esteve, uma vez mais, a analisar o fundo marinho do arquipélago dos Açores, num estudo que serve de base a um projecto que pretende alargar áreas do leito e subsolos marinhos, para além das 200 milhas

Expansão da ZEE, na base de estudo hidrográfico

O navio " D. Carlos I " esteve, durante 90 dias a efectuar levantamentos hidrográficos na Zona Económica Exclusiva dos Açores e os resultados dos estudos podem servir de base ao projecto que tem por objectivo a extensão da plataforma continental.

Basicamente, Portugal pretende reclamar áreas do leito e subsolos marinhos, para além do actual limite das 200 milhas, mostrando, assim, ter capacidade científica e tecnológica, no domínio dos mares e das ciências do Mar.

Portugal, através de vários estudos que tem vindo a efectuar, quer conseguir ir até ao limite das 600 milhas de Zona Económica, ou seja, três vezes mais do que actualmente possui, necessitando, para isso, estudos exaustivos sobre o arquipélago açoriano, para poder alargar a sua jurisdição sobre os fundos oceânicos, até às ilhas Canárias.

Paulo Alves / Carlos Tavares