Economia

Os Açores foram a região do pais com maior crescimento do PIB em 2006, mas permanecem abaixo da média nacional

Os Açores foram a região do pais com maior crescimento do PIB em 2006, mas permanecem abaixo da média nacional

 

O governo dos Açores apresenta esta manhã os dados da evolução da economia açoriana.

Uma tarefa que cabe a Sérgio Àvila.

O vice-presidente do executivo vai reportar-se aos últimos dados estatísticos, referentes ao ano de 2006.

Dados que colocam a região como aquela onde o PIB mais cresceu.

Em 2006, o PIB (Produto Interno Bruto) nos Açores cresceu 3,3%, um crescimento superior a todas as regiões do país e maior do que a média nacional, que foi de 1,4%.


Segundo os dados divulgados pelo INE, em termos de crescimento, a seguir, vem a madeira, com 2,8% e depois o Algarve com 2,5%.


As regiões que registaram menores aumentos do PIB em 2006, foram o Alentejo, o Centro, o Norte e Lisboa.


Olhando num espaço temporal maior, em 1995, o PIB nos Açores representava 79 % da média do País, em 2006, atingiu 90%.


Relativamente à Europa, a variação não foi tão grande.

 

Em 1995 estava nos 60% da média Europeia (UE27), em 2006, nos 67%.


Foi, no entanto, além da Madeira, a região que, de 1995 a 2006, maior crescimento registou em relação à Europa dos 27.


Também no índice de produtividade os Açores foram, em 2006, a segunda região do país.

Assim, Lisboa atingiu os 137% da média nacional e a Madeira ficou a seguir, com 123%.

Neste factor, é o Alentejo que aparece em terceiro, com 111%.

Só depois aparecem o Algarve (102%) e os Açores (102%).

O Norte ficou-se pelos 82% e o Centro pelos 79%.

 

Entretanto, conforme sublinham os dados do INE, o aumento do índice dos Açores foi insuficiente para ultrapassar a média do país.

 

A Madeira apresentava, em 2006, um índice superior à média nacional.

 

Também Lisboa e Algarve tinham registos superiores à média.

 

Por outro lado, o PIB madeirense, em percentagem, só é suplantado pelo de Lisboa.

 

Aliás, só havia, em 2006, três regiões com média superior à nacional: Lisboa, com 140%, a Madeira com 128%, e o Algarve com 106%.

 

O PIB do Alentejo era de 95%, os Açores ficaram-se pelos 90% da média nacional, o Centro pelos 85% e o Norte pelos 80%. 

 

Refira-se que em 1995 o PIB da Madeira era de 89% e o dos Açores de 79%.

 

Agora, a diferença entre os dois arquipélagos acentuou-se, passando de dez para 38 pontos percentuais.


Rafael Cota / António Gil