Graciosa Online

Concessão da desmancha

Exportação de carne da Graciosa aumenta 88%

Concessão da desmancha


O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou o lançamento do concurso público para concessionar a privados a sala de desmancha do novo matadouro da Graciosa, uma infraestrutura moderna, com equipamentos de excelência que deve contribuir para uma maior valorização da carne de bovino desta ilha. 

“À semelhança do que já ocorreu noutras unidades de desmancha na Região, pretende-se concessionar a da Graciosa. Uma infraestrutura moderna e de excelente qualidade, que será mais um instrumento para ajudar a valorizar o setor da carne de bovino, que tem ainda um grande potencial para continuar a crescer nos Açores e, por esta via, criar mais dinamismo económico e mais riqueza”, afirmou João Ponte, à margem da visita à sala de desmancha do matadouro da ilha Graciosa. 

O governante destacou os avultados investimentos que foram concretizados na modernização da rede regional de abate com o objetivo estratégico de contribuir para o reforço da valorização da carne dos Açores. Atualmente, estão concessionadas as salas de desmancha dos matadouros das Flores, Pico, Terceira, São Miguel, Santa Maria e Faial.

 “Com a construção do novo matadouro registou-se uma evolução muito positiva no setor da carne de bovino na ilha Graciosa. Os abates em 2018 cresceram 18%, em relação ao ano anterior, e, no mesmo período, a exportação de carne de bovino em carcaça cresceu 47%. Já nos primeiros nove meses deste ano, o abates estão a crescer 44% e a exportação 88%”, indicou João Ponte. 

Para o Secretário Regional, isso significa que se está a abater mais na Graciosa, em alternativa à expedição de animais vivo, uma alteração de paradigma no setor da carne nesta ilha que está a contribuir para gerar mais rendimento para os produtores e está a criar novas oportunidades para o desenvolvimento económico, cumprindo assim com o propósito do investimento público que foi realizado. 

Por outro lado, João Ponte afirmou que há ainda um desfio a vencer, que se prende com a redução do número de animais expedidos em vida, revelando que, nos primeiros nove meses deste ano, saíram da Graciosa cerca de 1.200 bovinos. 

“Seguramente que esta sala de desmancha vem dar mais um contributo importante para se vencer mais esse desafio, sobretudo por aquilo que ele pode representar para o reforço da competitividade da produção da carne de bovino na ilha Graciosa”, frisou João Ponte.




Fonte: GaCS