Graciosa Online

Marcas do incêndio

PSD denuncia dificuldades na exportação de pescado por via aérea

Marcas do incêndio


O deputado do PSD/Açores João Bruto da Costa denunciou hoje as dificuldades sentidas pelos exportadores de pescado da Ilha Graciosa, após o incêndio que destruiu parte da aerogare local. 

O social democrata questionou o governo regional sobre as previsões do regresso à normalidade na exportação via aérea da iIha, "uma vez que, no caso dos pescadores e exportadores da Graciosa, ainda não houve qualquer indicação nesse sentido. 

Sendo que praticamente pararam por completo a sua atividade quanto às espécies habitualmente exportadas", avança. Lembre-se que, no passado domingo (dia 24), um incêndio com algumas proporções destruiu parte do edifício da aerogare da Ilha Graciosa, na zona de cargas. 

João Bruto da Costa recorda que, "no dia seguinte ao incêndio, a Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas assegurou que o sinistro ocorrido não inviabilizava a utilização daquela infraestrutura aeroportuária". 

"Aliás, acrescentou mesmo que a operacionalidade do aeródromo não estava afetada, nem em termos de carga, portanto, iria continuar a operar, o que se afigura essencial para a ilha, como todos sabem”, completa o deputado. 

"De facto, as primeiras avaliações dos constrangimentos causados pelo incêndio aparentavam alguma retoma da normalidade nas operações de exportação, nomeadamente de pescado. Mas não é o que está a acontecer", afirma. 

"Nas semanas anteriores, exportaram-se valores próximos das 10 toneladas de pescado, mas na presente data os pescadores e exportadores da ilha não sabem como colocar as suas capturas no mercado exterior. 

Ou seja, a aparente normalidade a que se referia o Governo, afinal deixou de fora uma das mais importantes atividades económicas da ilha", critica o social democrata. 

João Bruto da Costa quer assim saber se a tutela prevê acionar "mecanismos alternativos ou de compensação aos profissionais da pesca por esta paragem forçada, caso a situação não seja rapidamente resolvida", questiona. 

O deputado do PSD/Açores conclui, frisando que "todo este processo parece mostrar alguma desinformação entre Governo, autoridades aeroportuárias e gestores daquela valência, daí também a importância de questionarmos os responsáveis regionais sobre o assunto".



Fonte: PSD Açores