Graciosa Online

Potenciar a carne

Secretário da Agricultura destaca importância do novo matadouro

Potenciar a carne


O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou hoje que o novo Matadouro da Graciosa, orçado em 5,4 milhões de euros, é um equipamento “muito importante” para potenciar ainda mais o crescimento da fileira da carne, na Graciosa e na Região, criar mais emprego, mais riqueza e desenvolver a economia. 

“Esta é uma obra muito importante para a ilha Graciosa e para a fileira da carne, pois vai permitir dar novas e melhores condições, bem como aumentar a capacidade de abate em relação à atual infraestrutura, que, apesar das suas limitações, não tem impedido o crescimento no número de abates registado nos últimos anos”, afirmou João Ponte, no final de uma visita à obra do novo Matadouro da Graciosa. 

No segundo dia da visita estatutária do Governo Regional, João Ponte assegurou que a obra decorre dentro da normalidade, estimando que o novo matadouro entre em funcionamento no início de 2019. “Nos últimos quatros anos, os abates na Graciosa cresceram 65%, enquanto a média regional atingiu 22%, um número excecional e, do ponto de vista dos produtores, muito interessante, porque permitiu, em vez de se enviar gado vivo, que os animais fossem abatidos na Região, na Graciosa, com as mais valias que daí resultam”, frisou. 

João Ponte destacou também a importância do empenho e dedicação dos trabalhadores dos matadouros dos Açores para os bons resultados alcançados no setor da carne. “Sem eles não teria sido possível termos feito esse grande percurso que fizemos nos últimos anos em termos de desenvolvimento desta fileira e de criação de mais rendimento para os produtores de carne”, disse o Secretário Regional, acrescentando ser justo valorizar a obra humana e não apenas as obras físicas. 

O titular da pasta da Agricultura adiantou que, nos primeiros cinco meses deste ano, o consumo local de carne nos Açores cresceu 4,4% e a exportação quase 19%, comparativamente com igual período do ano passado, indicadores que atestam o dinamismo e o potencial económico desta fileira. João Ponte destacou que as ilhas de Santa Maria (40%) e a Graciosa (30%) foram as que registaram maiores crescimentos no total de abates este ano, depois de São Miguel e Terceira em quantidade. 


Fonte: GaCS